Homem que ficou “dobrado” por 28 anos completa tratamento e fica em pé após cirurgia revolucionária

de OTTO HESENDORFF 0

Li Hua, um homem da China, viveu uma transformação notável após suportar quase três décadas de uma severa limitação física devido à espondilite anquilosante, uma doença autoimune que afeta principalmente a coluna vertebral e outras áreas do corpo, causando inflamação dolorosa.

Conhecido como o “homem dobrado” devido à sua condição que o forçava a permanecer curvado, Li só pôde retomar uma postura ereta após uma série de cirurgias complexas apelidadas de “cirurgia do Everest”.

A espondilite anquilosante começou a afetar Li aos 19 anos, progressivamente deteriorando sua mobilidade e qualidade de vida ao ponto de ele não conseguir se levantar, comer ou caminhar adequadamente.

Li Hua (à esquerda, na foto aos 18 anos) foi diagnosticado com espondilite anquilosante. A doença começou a progredir rapidamente e o deixou totalmente “dobrado”. Foto: Reprodução / Daily Mail

A situação o deixou dependente dos cuidados de sua mãe, Tang Dongchen, em sua modesta casa na zona rural da China. Tang, determinada a ajudar o filho, expressou sua angústia em ver o filho sofrer.

“Eu não ia desistir do meu filho. Eu o dei à luz, então tinha que fazer o meu melhor para encontrar uma maneira de melhorar sua saúde. Do contrário, quem cuidaria dele quando eu morresse?”, disse em entrevista emocionante ao The Sun.

A espondilite anquilosante é uma doença crônica que geralmente se desenvolve pela primeira vez em adolescentes e adultos jovens e é duas vezes mais comum em homens do que em mulheres.

Os sintomas podem variar, mas geralmente envolvem dor e rigidez nas costas, dor e inchaço em outras partes do corpo devido à inflamação das articulações (artrite) e onde um tendão se junta a um osso (entesite), e cansaço extremo (fadiga).

Os especialistas não têm certeza absoluta sobre o que causa a espondilite anquilosante, mas acreditam que possa estar relacionada a uma variante genética específica conhecida como HLA-B27.

Os tratamentos convencionais, que incluem medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, são muitas vezes insuficientes para reverter os danos avançados. No entanto, em casos raros como o de Li, a cirurgia pode ser necessária para reparar articulações significativamente danificadas ou corrigir curvaturas graves na coluna.

Foto: Reprodução / Daily Mail

A virada na vida de Li ocorreu em 2020, quando ele foi submetido a quatro procedimentos cirúrgicos no Hospital Geral da Universidade de Shenzhen, onde o Dr. Tao Hurien e sua equipe realizaram uma série de intervenções para quebrar e reconstruir seus ossos.

O processo cirúrgico, de alto risco e complexidade, foi bem-sucedido, introduzindo 20 pinos no pescoço de Li para estabilizar sua coluna, embora isso tenha comprometido a mobilidade de seu pescoço permanentemente. Hoje, sua recuperação e tratamento estão completos.

Apesar das limitações, Li experimentou uma melhoria significativa na sua qualidade de vida. Em entrevista à Ergeng TV, ele expressou sua alegria e alívio: “Estou muito feliz por poder dormir deitado novamente. Há mais de 20 anos que eu não dormia de costas. A primeira vez que vi minha mãe depois da cirurgia, percebi de repente o quanto ela havia envelhecido cuidando de mim todos esses anos. Ela não poderia cuidar de mim para sempre, então eu queria curar essa doença e reduzir seu fardo.”

©Todos os direitos reservados. Proibida a cópia e reprodução sem autorização da PLUG Network.

Fonte(s): The Sun Imagem de Capa: Reprodução / AsiaWire via The Sun 

Jornal Ciência