Pesquisadores criam forma de hidrogênio que poderia revolucionar a tecnologia e ajudar o homem a chegar a Marte

de Merelyn Cerqueira 0

Cientistas norte-americanos conseguiram criar uma forma de hidrogênio metálico supercondutor que poderia revolucionar a tecnologia eletrônica.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

 

A descoberta foi feita ao espremerem uma pequena amostra do elemento a 495 gigapascal – uma pressão maior do que a existente no centro da Terra. Entre as aplicações da descoberta, além da revolução eletrônica, está a criação de trens maglev super-rápidos e combustível de foguetes – algo que ajudaria nas missões a Marte, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

 

A descoberta, publicada na revista Science, fornece a primeira confirmação de uma teoria proposta em pelos físicos Hillard Bell Huntington e Eugene Wigner, em 1935. Segundo eles, o oxigênio, que normalmente é um gás, poderia ocorrer em estado metálico quando exposto a pressões extremas.

 

Diante disso, diversas equipes de cientistas se arriscaram a desenvolvê-lo, uma vez que seu potencial de eficiente condutor de eletricidade é altamente valorizado – sendo considerado o “Santo Graal da física de alta pressão”, de acordo com o físico e um dos autores do estudo, Isaac Silvera, de Harvard.

 

Atualmente, os supercondutores, como os usados em máquinas de ressonância magnética (MRI), devem ser resfriados com hélio líquido para que sejam mantidos em temperaturas extremamente baixas, um procedimento que é considerado muito caro. É a primeira amostra de hidrogênio metálico na Terra”, disse Silvera. “Você está olhando para algo que nunca existiu antes”. Para criar o material, os cientistas espremeram amostras de hidrogênio a mais 32,5 milhões de quilos por 6,5 centímetros quadrados. A força foi criada a partir de diamantes sintéticos.

 

Segundo ele, um dos fatos mais importantes é que o elemento criado é previsto para ser metaestável. Ou seja, ele permanece metálico sem pressão, semelhante à forma como os diamantes se formam a partir do grafite sob intenso calor e pressão, mas permanecem como tal quando esses fatores são removidos. Essa compreensão é essencial porque as previsões sugerem que o hidrogênio metálico poderia atuar como supercondutor em temperatura ambiente.

 

Ele considera que se pudéssemos fazer fios desse material e usá-los em redes elétricas, atingiríamos um patamar inédito em termos de aproveitamento da energia. Ainda, o hidrogênio metálico poderia modificar radicalmente nosso sistema de transportes, tornando possível a levitação magnética de trens de alta velocidade, além de tornar carros elétricos mais eficientes e melhorar muitos dispositivos eletrônicos.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail / Print do vídeo Youtube ] 

Jornal Ciência