Antibióticos durante a gravidez podem enfraquecer sistema imunológico do bebê e aumentar riscos de pneumonia

de Merelyn Cerqueira 0

gravidez_01

Cientistas advertiram em uma nova pesquisa que as mulheres que tomam antibióticos durante a gestação podem colocar em risco a saúde de seus bebês, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

 

As drogas podem interferir no funcionamento do sistema imunológico a longo prazo, pois as bactérias intestinais desempenham um papel importante no desenvolvimento da criança, mas são frequentemente eliminadas pelos antibióticos, aumentando riscos de pneumonia, segundo o estudo.

 

Liderados por pesquisadores do Children’s Hospital Medical Center de Cincinnati, nos EUA, os cientistas descobriram em ensaios realizados em ratos que as células do sistema imunológico ligadas ao câncer de pulmão haviam desaparecido em razão da exposição a antibióticos. Enquanto que, a longo prazo, essas interrupções continuadas das bactérias intestinais pareceram causar danos permanentes ao sistema imunológico.

 

No estudo, publicado na revista Science Translational Medicine, os pesquisadores argumentaram que a prática de prescrever antibióticos para mulheres que passarão por cesarianas deve ser questionada. É hora de começar a reconsiderar práticas que foram estabelecidas décadas atrás, quando nosso nível de compreensão era completamente diferente”, disse Dr. Hitesh Deshmukh, um dos autores da pesquisa. “Para prevenir infecções em um bebê, estamos expondo-o aos efeitos indesejáveis dos antibióticos”, continuou. “Uma abordagem mais equilibrada e matizada é possível”.

Eles pediram no estudo que os médicos se esforcem para diminuir o uso de antibióticos como uma meta de longo prazo. No Reino Unido, por exemplo, as diretrizes hospitalares sugerem que as mulheres que serão submetidas a uma cesariana recebam doses de antibióticos profiláticos antes da incisão. Ainda, muitos recém-nascidos em UTI neonatais também recebem o medicamento como forma de precaução. O tratamento visa proteger contra Estreptococos do Grupo B, principal causa de morte entre bebês. 

 

No entanto, o medicamento age eliminando as bactérias ruins e boas no processo e o uso excessivo dele pode explicar o porquê de algumas pessoas sem fatores de risco genéticos desenvolverem doenças respiratórias mais tarde na vida. Um estudo realizado em setembro do ano passado, por exemplo, descobriu que crianças que tomaram antibióticos antes dos dois anos eram mais propensas a desenvolver alergias cutâneas mais tarde na vida. Enquanto que, estudos realizados com quase 400 mil pessoas apontaram que as drogas, quando administradas durante a infância, aumentam as chances de alergia em até 41%. 

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Pixabay ]