Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

TOP 7 mentiras sobre a Idade Média em que muitos acreditam

de Otto Valverde 0

Algumas coisas que são ensinadas na escola sobre a Idade Média podem não ser exatamente fiéis aos fatos que ocorreram.

Alguns mitos foram criados sobre essa época com o passar dos anos, e alguns mistérios talvez não possam ser explicados até hoje. Confira alguns desses mitos que você sempre acreditou serem verdade:

1 – As mulheres só cuidavam da casa

Muitos acreditam que o papel da mulher era apenas de dar à luz aos filhos e cuidar da casa, mas isso não é verdade.

Elas faziam trabalhos iguais aos dos homens e até trabalhavam mais que seus companheiros, por que ainda tinham que cuidar da casa.

2 – As pessoas só vivam até os 30 anos

A vida naquele tempo era mais perigosa do que atualmente, por isso muitos acreditam que as pessoas viviam pouco na Idade Média. Porém, quanto mais tempo passava, mais experiente e habilidosa a pessoa ficava, conseguindo se esquivar dos perigos e riscos da vida com mais facilidade.

3 – Crueldade na medicina

Muitos pensam que as pessoas morriam em qualquer procedimento naquela época, mas, realmente existia um conhecimento relativamente avançado para aquele tempo. Por isso, alguns métodos realizados na Idade Média são estudados e aperfeiçoados até hoje.

4 – Cinto de castidade era normal

A primeira representação de um cinto de castidade apareceu no livro Bellifortis no ano de 1405, quase no fim da Idade Média, mas muitos acreditam que as mulheres usavam isso, enquanto seus maridos iam para as batalhas e levavam a chave consigo para impedir que a esposa tivesse relações sexuais.

5 – A religião atrapalhava o progresso científico

Muitos acreditam que a Igreja na idade Medieval perseguia o conhecimento científico. Na verdade, ela recrutava estudantes de Matemática e Ciência e os colocava para trabalhar em lacunas entre os ensinamentos gregos e a Ciência do renascimento.

6 – Jus primae noctis era comum

Jus primae noctis é o suposto direito do nobre ou rei poder dormir no lugar do noivo na noite de núpcias de um casal, mas isso não passa de uma inspiração para os autores de livros e filmes poderem ter mais conteúdo para o roteiro.

7 – Só se consumia cerveja e vinho

Muitos acreditam que as pessoas naquela época não confiavam na água que bebiam, por isso só ingeriam cerveja ou vinho. Isso não é verdade: muitas cidades medievais possuíam muitos poços e também eram cercadas por rios de água doce.

Fonte: Grunge Fotos: Reprodução / Grunge

Jornal Ciência