Siamesas unidas pelo peito lutam por suas vidas em hospital

de Julia Moretto 0

Em um caso muito raro, siamesas nasceram no hospital Al-Shifa em Gaza com peito e estômago unidos, mas com cabeças, corações, pulmões e coluna vertebrais separados. As meninas, que ainda não possuem nome, são o primeiro caso de gêmeos siameses na área desde 2013, segundo relatos locais.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Dr. Ayman al-Sahbani, chefe do departamento de emergência hospital, disse à agência de notícias Ma’an que a família se recusa a dar um nome para as irmãs. Não se sabe se está planejada alguma operação para separá-las. Acredita-se que existam quase 12 de tipos de gêmeos siameses, sendo que a forma mais comum é chamada de omphalopagus, que são ligados pela cintura, geralmente compartilhando fígado ou sistema gastrointestinal e, por vezes, funções urinárias. A maioria dos gêmeos siameses não sobrevive porque seus órgãos são incapazes de sustentar suas necessidades corporais.

O nascimento dessas garotas em Gaza aconteceu um mês depois de uma cirurgia histórica que separou outros siameses unidos pela cabeça, nos Estados Unidos. Neste outro caso, Jadon e Anias McDonalds, de Chicago, foram operados em uma cirurgia de 27 horas de duração. Eles foram fotografados no início desta semana olhando um para o outro pela primeira vez após a recuperação da cirurgia

Acredita-se que esta tenha sido a recuperação mais rápida da história após uma cirurgia do tipo, tendo levado apenas oito semanas. Os meninos eram siameses craniopagus, que são aqueles que nascem com as cabeças unidas. Jadon já pode se mover, e agora é ativo e enérgico, puxando suas ataduras e brincando com qualquer um. Anias, que já estava doente antes da operação, está tendo mais dificuldades, pois contraiu vírus e infecções.

Mas seu cirurgião, Dr. Philip Goodrich, disse acreditar que Anias vai melhorar, e acha que Jadon é uma grande fonte de energia para ele neste momento. Nascimentos de siameses são raros. Acredita-se que um nascimento de gêmeos siameses ocorra a cada 200.000 nascidos vivos. A taxa de sobrevivência de gêmeos siameses está entre 5% a 25%, além disso, aproximadamente 70% de todos os gêmeos siameses são meninas.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Vídeo Daily Mail ]

Jornal Ciência