Misteriosa criatura marinha “sem rosto” é encontrada em praia no País de Gales

Carcaça tem sete metros e pesa quatro toneladas, mas animal ainda não foi identificado.

de Redação Jornal Ciência 0

A carcaça de um animal, em avançado estágio de decomposição, foi encontrada, na última semana, na Praia Broad Haven South, no País de Gales. Os restos mortais medem cerca de sete metros e pesam quatro toneladas, mas o animal ainda não foi identificado.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Especialistas locais do Programa de Pesquisa de Encalhamento de Cetáceos ficaram impressionados com a descoberta. A misteriosa criatura não possui nenhuma característica aparente que ajude os trabalhadores a identificá-la. Por isso, eles enviaram amostras para análise no Museu de História Natural e para o Zoológico de Londres.

“É muito difícil afirmar com certeza o que é porque está muito decomposto”, disse o coordenador do programa, Matthew Westfield, ao jornal britânico The Sun.

A princípio, os pesquisadores acreditavam que poderia se tratar de uma baleia, só que a possibilidade foi descartada por conta do cheiro exalado pelo animal. “Peixes em decomposição têm um cheiro diferente de baleias em decomposição”, explicou Matthew, afirmando que baleias, por serem mamíferos, não possuem o cheiro de peixe que este animal apresenta.

O melhor palpite, até agora, é que os restos mortais possam ser de um tubarão-frade.

Tubarão-frade é o melhor “chute” dos cientistas sobre o que seria este animal encontrado. Foto: Reprodução / Facebook.

Os especialistas dizem que é impossível precisar qual foi a causa da morte, por exemplo, podendo ser devido à idade avançada, captura acidental humana ou ferimentos.

Fonte(s): IFLScience Imagens: Reprodução / Facebook

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência