Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Duas escuras luas misteriosas aparecem em Urano

de Julia Moretto 0

De acordo com dados captados pela nave Voyager 2, em 1986, os pesquisadores encontraram evidências de duas luas, até então nunca vistas, escondidas nos anéis de Urano.

Urano, o terceiro maior planeta do nosso Sistema Solar, já tem 27 luas que conhecemos – mas estas duas aparecem a orbitar o planeta mais de perto do que qualquer um de seus outros satélites naturais, e criam padrões ondulados em seus anéis mais próximos. Embora os anéis de Saturno sejam os mais famosos a orbitar o Sol, ele não é o único com a característica. Júpiter, Urano e Netuno também possuem seus próprios sistemas de anel.

Devido à distância – quase 20 vezes mais longe do Sol do que a Terra, os cientistas não tiveram muita oportunidade de estudar Urano. Muitas das informações sobre o planeta vieram da Voyager 2, há 30 anos. Agora, uma dupla de cientistas da Universidade de Idaho, nos EUA, reexaminou esses dados para mostrar que há algo estranho acontecendo em dois dos 13 anéis de Urano, chamados Alfa e Beta.

Estes anéis exibem um padrão ondulado anteriormente despercebido, sugerindo que eles sejam puxados por duas luas pequenas. “Esses padrões podem ser resultantes de pequenas luas que orbitam seu exterior”, escreveram os pesquisadores em seu artigo no site arXiv.org. Os pesquisadores acreditam que o Voyager 2 não pôde identificar essas luas por elas serem pequenas e escuras. Dessa forma, elas teriam se misturado com o fundo da nave espacial. Sua tonalidade escura faz com que elas não reflitam luz, como é o caso da maioria das luas e dos anéis de Urano.

Mas os dois pesquisadores, Rob Chancia e Matthew Hedman, já analisaram os números e sugerem que o padrão detectado nos anéis Alfa e Beta são semelhantes aos causados ​​pela força de algumas das outras luas de Urano, como Cordelia e Ophelia. Eles preveem que, caso essas duas novas luas existam, eles só medem entre 4 e 14 km de diâmetro.

Por enquanto, esta descoberta está longe de ser confirmada. Mas, a equipe se prepara para inspecionar Urano com o Telescópio Espacial Hubble para obter mais informações. Mark Showalter, do Instituto SETI, na Califórnia, que descobriu anteriormente luas em torno de Urano, mas não estava envolvido no estudo, disse que a existência das duas luas é “certamente uma possibilidade muito plausível”.

Ele também disse que o Hubble é a “melhor aposta” para encontrar esses novos satélites de Urano, mas se isso falhar, talvez seja hora de criar uma missão própria para Urano.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / NASA ] 

Jornal Ciência