Crocodilo de 3,5 metros arrasta corpo de homem que nadava em lago, no México; veja vídeo

A gravação mostra como o réptil carrega o corpo da vítima entre os dentes, enquanto as pessoas assistem a cena em estado de choque

de Redação Jornal Ciência 0

Um vídeo perturbador tornou-se viral no Twitter após mostrar um crocodilo de 3,5 metros arrastando um corpo. O banhista estava nadando na Laguna del Carpintero, na cidade de Tampico, México, quando foi abocanhado por um crocodilo.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

As imagens mostram o réptil carregando a vítima presa em sua boca, nadando tranquilamente. A identidade do homem não foi revelada para preservar sua imagem, de acordo com a imprensa local.

Ele entrou no rio às 8h00, em uma área onde está sendo construída uma roda-gigante que servirá de atração. Moradores contam que logo após entrar na água, a vítima foi abocanhada pelo crocodilo.

As autoridades mexicanas conseguiram localizar o réptil e resgatar o cadáver. Os bombeiros tiveram muita dificuldade para encontrá-lo porque o crocodilo escondeu o corpo no cano de esgoto.

O animal foi levado para a central do Corpo de Bombeiros da cidade para realizar um exame de raio-x com veterinários para determinar se havia engolido um braço da vítima, que não foi encontrado no local.

O prefeito, Adrián Oseguera Kernion, pediu à população que não entrasse no lago, evitando novos ataques.

“São crocodilos muito agressivos. Respeite a sinalização e não se aproxime das lagoas. Também cuide dos animais que você traz, cachorrinhos, gatinhos, porque há muitas afirmações de que o crocodilo já levou cachorrinhos e gatinhos”, disse.

Infelizmente, crocodilos e jacarés conseguem se jogar na água e nadar de forma mais rápida do que a capacidade humana em reagir ao ataque. Evite nadar ou entrar em locais onde existam estes répteis.

O vídeo abaixo possui cenas fortes que podem ser perturbadoras para leitores mais sensíveis:

 

Fonte(s): El Imparcial Imagens: Divulgação / Twitter

Jornal Ciência