Você não vai acreditar na composição deste drink “mortal” vendido no México

de Merelyn Cerqueira 0

Há dois anos, quando foi desafiado por seu chefe para que criasse uma bebida que lhe impressionasse, Romeo Palomares, um chefe mixologista de um bar chamado Luciferina, na Cidade do México, inventou uma bebida incomum feita à base de veneno de tarântula.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Nomeada em homenagem a gigante aranha dos livros de “Harry Potter”, Aragog é um drink capaz de entorpecer a língua e os lábios e causar sensações “entre formigamento e desconforto“ na garganta.

Com informações da Oddity Central. Enquanto se aproximava o popular feriado do Dia dos Mortos, e o famoso mercado de bruxaria de Sonora estava a todo vapor, Palomares decidiu que ali seria o melhor lugar para procurar um ingrediente “especial” para sua criação.

Aragog-tarantula-cocktail2-750x466

Então, enquanto garimpava as mercadorias mais incomuns de Sonora, foi atraído pela barraca de uma vendedora.

Ele disse que estava em busca de um ingrediente interessante que pudesse adicionar em um coquetel.

A vendedora puxou uma dose de veneno de tarântula e o encorajou a experimentá-lo, assegurando-lhe que não era forte o suficiente para causar problemas de saúde.

Embora estivesse com medo, Palomares foi vencido por sua curiosidade e acabou tomando um gole do produto.

Em entrevista à Infobae, ele descreveu o sabor como “ácido, salgado, especial, semelhante a ostras, mas com leves efeitos colaterais”. Em poucos segundos notou que sua língua ficou adormecida e logo começou a sentir um formigamento e inflamação em torno de sua boca. “Parecia que eu tinha acabado de voltar do dentista”, disse.

Aragog-tarantula-cocktail4

Embora normalmente levasse algo entre duas horas para criar novos coquetéis, para fazer Aragog, ele precisou de um total de cinco dias.

Ele passou tanto tempo combinando ingredientes com o veneno da tarântula e provando os resultados que em um ponto precisou ir ao hospital porque sua garganta havia ficado completamente entorpecida. 

No entanto, todo o esforço valeu a pena: Palomares finalmente conseguiu desenvolver o que lhe era esperado.

A única coisa que faltava era um nome legal que combinasse com a criação. Felizmente, um de seus supervisores era um grande fã da franquia “Harry Potter”, de J. K. Rowling, e acabou sugerindo o nome da gigante aranha de Hagrid. Palomares adorou, e o drink foi lançado oficialmente no Luciferina Bar em 1 de novembro de 2015.

Uma dose de 500 ml de Aragog leva mezcal mexicano (um destilado feito de agave,semelhante à Tequila), pisco chileno (aguardente de uva), cachaça brasileira, suco de manga, um toque de limão e 0,05% de veneno de tarântula.

O mixologista alerta que este não é um drink para os consumidores de coração fraco, e não é só por causa de seus ingredientes, mas também porque é feito “com três tipos de bebida”. 

Quando questionado sobre a segurança, Palomares garante que consultou um médico antes de começar a servir a bebida aos clientes.

O profissional lhe forneceu uma dosagem segura para consumo. Ele agora trabalha em parceria com um laboratório que lhe fornece o veneno puro da aranha.

Além do entorpecimento da língua e formigamento na garganta, alguns clientes podem experimentar um ligeiro peso nas pálpebras e salivação, de acordo com o mixologista. 

Contudo, e se você tiver interesse em fazer uma visita a Cidade do México, saiba que o Luciferina Bar só pode vender até 200 coquetéis Aragog por noite.

Fonte: Oddity Central Fotos: Reprodução / Oddity Central

Jornal Ciência