Consumo de refrigerantes nos EUA está caindo; norte-americanos estão preferindo alternativas saudáveis

de Merelyn Cerqueira 0

Segundo dados da Beverage-Digest, o consumo de refrigerante nos EUA atingiu seu 31º ano de baixa em 2016.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Informações mostram que a venda de refrigerantes carbonatados diminuiu 0,8% no país ano passado. Junto a estes, suco de frutas, bebidas açucaradas ou dietéticas também atingiram uma nova baixa. Ao que tudo indica, os norte-americanos estão optando por alternativas mais saudáveis. Com informações do Daily Mail.

Acredita-se que a baixa dos números tenha ocorrido à medida que a taxa de obesidade no país foi aumentando. Dados mostram que agora as pessoas estão optando por bebidas “da moda” e sem açúcar, como água gelada, café pré-engarrafado e isotônicos.

consumo-de-refrigerante_1

 A taxa de diabetes nos EUA atingiu a sua maior alta nos últimos anos, e as bebidas açucaradas são uma das maiores vilãs.

À medida que mais informações se tornam disponíveis para os consumidores sobre como perder peso e ficarem saudável, os norte-americanos começaram a reduzir o consumo de fast food e refrigerantes.

Contudo, a redução das vendas não prejudicou empresas como a Coca Cola ou Pepsi, já que a demanda por produtos com menor teor de calorias segue crescendo.

consumo-de-refrigerante_2

“As pessoas estão cada vez mais conscientes da desvantagem do consumo de refrigerante decorrente do alto teor de açúcar e calorias do refrigerante regular e preocupações em torno do impacto na saúde dos edulcorantes artificiais usados ​​no refrigerante dietético”, explicou a especialista e escritora Karen Ansel. “Como resultado, muitas pessoas estão buscando mais bebidas naturais e saudáveis, o que provavelmente explica por que as vendas de água engarrafada agora superam as vendas de refrigerantes”, salientou.

Políticos nos EUA estão pressionando por um novo imposto de refrigerante a nível nacional na tentativa de reduzir as vendas de bebidas em 10%, um sinal claro de que o movimento poderia ajudar na luta contra a obesidade.

Fonte: Daily Mail Fotos: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência