Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

O que acontece com seu corpo quando você consome refrigerante?

de Merelyn Cerqueira 0

Presumivelmente, o refrigerante é uma das bebidas mais consumidas do mundo, especialmente nos EUA.

Estima-se que cada norte-americano consuma aproximadamente 216 litros da bebida a cada ano. Considerando que diabetes e obesidade são problemas reais e preocupantes no país, esse nível de consumo torna-se uma questão de saúde. Dessa forma, precisamos saber: o que acontece com o organismo de uma pessoa a cada gole do líquido?

coisas-que-acontecem-quando-vc-para-de-tomar-refrigerante-_002

De acordo com informações da Medical Daily, assim que o refrigerante é engolido, o pâncreas rapidamente é notificado. Então, a insulina, hormônio que o corpo usa para mover o açúcar dos alimentos até a corrente sanguínea, utiliza o componente para dar energia às células.

Em apenas 20 minutos, os níveis de açúcar no sangue atingem seu pico, e o fígado começa a responder ao hormônio, transformando o açúcar em gordura, para o armazenamento. Passados 45 minutos da ingestão de um único copo, a cafeína presente na bebida é completamente absorvida. Como resultado disso, as pupilas se dilatam e a pressão arterial sobe.

O corpo, então, produzirá mais dopamina, que estimula os centros de prazer do cérebro, e fará com que o refrigerante aja da mesma forma que a cocaína, mas em menor grau.

Com o tempo, o corpo começa a experimentar uma perda de açúcar no sangue, como consequência, a pessoa pode passar para um segundo copo de refrigerante – ou ingerir alimentos doces – para suprimir essa falta. Logo, o consumo de bebidas do tipo e a obesidade estão definitivamente relacionados. Pesquisadores de Harvard calcularam, que a cada refrigerante consumido, os riscos de obesidade aumentam cerca de 1,6 vez.

Além da ameaça de obesidade, os pesquisadores também descobriram que depois de analisar 40.000 homens durante um período de duas décadas, os que consumiam bebidas açucaradas diariamente tinham um risco aumentado de 20% para ataques cardíacos. Ainda, o xarope de milho – rico em frutose – considerado um substituto barato para o açúcar da cana, já foi associado a um aumento de risco de síndrome metabólica, que leva ao desenvolvimento de diabetes e doenças cardíacas.

O único lado positivo desse processo é o lucro das fábricas de refrigerantes, que certamente conhecem o ciclo do açúcar no corpo muito bem. Apenas nos EUA, são investidos cerca de 3,2 bilhões de dólares em marketing todos os anos, em um esforço para seduzir os consumidores.

Para as crianças, os efeitos são ainda mais preocupantes. Estima-se que elas estejam em um risco aumentado de 80% de desenvolverem diabetes do tipo 2 se forem consumidoras regulares de refrigerante. Sendo assim, no futuro, elas correm o risco de terem problemas renais, questões reprodutivas, osteoporose, asma e problemas dentais.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência