Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Médicos alertam para o consumo excessivo de água após mulher ter “overdose” do líquido

de Merelyn Cerqueira 0

Especialistas do Hospital de King’s College, no sul de Londres, questionaram a recomendação do consumo excessivo de água após uma mulher, de 59 anos, ser internada em razão de uma “overdose” do líquido.

Como seus níveis de sódio no sangue baixaram perigosamente, ela acabou desenvolvendo uma infecção no trato urinário, mas que de pronto foi gerida por médicos, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

Ela contou que teria sido recomendada por um médico a consumir muita água, cerca de 700 ml a cada 30 minutos. No entanto, em razão disso, precisou dar entrada emergência de um hospital, onde descobriu-se estar sofrendo de níveis perigosamente baixos de sal no sangue, o que ocorre quando muita água é consumida em um período relativamente curto.

Os sintomas envolvendo a condição incluem náuseas, crises de vômito e dores de cabeça. Em casos mais graves, o cérebro pode inchar, causando confusão mental, convulsões, coma e morte. Em um relatório para o BMJ Case Reports, as médicas que trataram o caso, Dr.ª Laura Christine Lee e Dr.ª Maryann Noronha disseram que há poucas evidências para afirmar com exatidão quando o consumo de água é excessivo.

Descrevendo o evento da paciente em questão, elas afirmaram que a mulher chegou ao departamento de emergência “progressivamente trêmula e confusa”, apresentando também dificuldades significativas de fala. No entanto, foram capazes de salvar-lhe a vida com um tratamento que incluiu a restrição de ingestão de líquidos por um período de 24 horas. Em um caso semelhante, as médicas contaram que uma jovem que sofria de gastroenterite morreu após beber água em excesso.  

Pessoas que consomem drogas como o MDMA, conhecido como ecstasy ou molly, bem como as que realizam esportes de resistência também correm o risco de sofrerem com níveis muitos baixos de sal no sangue. “Nós aconselhamos frequentemente os pacientes a ‘beberem bastante líquido’, e ‘manterem-se bem hidratados’ quando não estão bem”, escreveram as médicas no relatório. “Mas o que queremos dizer com isso? Há riscos potenciais envolvendo esse conselho aparentemente inofensivo?”.

Como demonstramos aqui, os efeitos nocivos da ingestão excessiva de líquidos incluem confusão mental, vômitos e perturbação da fala, com potencial evolução para resultados catastróficos devido às baixas concentrações de sódio no sangue”, disseram.

Para Dr. Imran Rafi, presidente de Pesquisa e Inovação Clínica no Royal College of GPs, “beber bastante água é importante para se manter saudável física e mentalmente, e os pacientes devem manter seus fluídos em equilibro quando estiverem indispostos, particularmente em condições que podem causar desidratação”.

Não há nenhuma recomendação firme quanto à quantidade de água necessária para uma pessoa se manter saudável, mas a coisa mais fundamental é que ela se mantenha hidratada – e a urina de cor clara é uma boa indicação”, explicou o. Rafi. “Esse relato de caso destaca que a ingestão excessiva de água pode ter consequências importantes para os pacientes, e isso é algo de que os profissionais de saúde e pacientes devem estar conscientes”.

[ Fonte: Daily Mail ]

[ Foto: Reprodução / Pixabay ]

Jornal Ciência