Teoria dos “buracos brancos” é um mistério que perdura há anos!

de Bruno Rizzato 0

Um buraco branco é uma característica hipotética do Universo, o oposto de um buraco negro. São erupções de matéria e energia nas quais nada pode entrar.

 

Seriam, em tese, uma solução possível para as leis da Relatividade Geral. Essa lei implica que, se buracos negros eternos existem no Universo, um buraco branco também deve existir. É um tempo de inversão de um buraco negro. Acredita-se que eles possam ter gravidade, atraindo objetos, mas nada em rota de colisão com um buraco branco será capaz de alcançá-lo.

 

Teoricamente, ao se aproximar de um buraco branco em uma nave espacial, haveria uma quantidade colossal de energia emitida, podendo destruir a nave, mesmo que ela pudesse resistir a raios gama. E mesmo que a nave espacial tenha sido construída para não ser afetada pela emissão de energia, o espaço-tempo se deformaria de forma estranha em torno de um buraco branco. A aceleração necessária ficaria cada vez maior, e o deslocamento, cada vez menor. Assim, não haveria energia suficiente no Universo para que uma pessoa pudesse ficar dentro de tal nave.

 

Porém, toda essa situação é hipotética. A existência de buracos brancos é improvável por conta do desconhecimento do surgimento de sua energia, sem ser o próprio espaço-tempo. No entanto, existem algumas teorias que possibilitam a existência de buracos brancos, mas não estão descritas na Relatividade Geral.

 

Como eles são homólogos de buracos negros, os buracos brancos também seriam formados por uma singularidade gravitacional, ou seja, uma característica específica do espaço-tempo em que o campo gravitacional se torna infinito. Valores infinitos em Física são geralmente uma indicação da falta de comprovações em uma teoria, por isso não é de se estranhar que a Mecânica Quântica e a relatividade precisem ir “muito além” para explicar detalhes de singularidades.

 

Muitos fenômenos já foram apresentados como buracos brancos, geralmente objetos misteriosos escolhidos sem explicação plausível. Feixes de raios gama e buracos negros que chegam ao final de suas vidas já foram considerados buracos brancos, assim como o Big Bang. Mas, até agora, não há buracos brancos observados diretamente, e até mesmo a sua existência teórica levanta questionamentos. Atualmente, acredita-se que eles sejam usados ​​como um marcador provisório de novas descobertas, até que mais observações sejam feitas ou uma teoria melhor apareça.

Porém, um buraco branco possui um tipo particular de singularidade, chamado de “singularidade nua”. Como eles não podem ser observados diretamente, a velocidade de escape (a velocidade que você precisa para se libertar de sua gravidade) é maior do que a velocidade da luz, para que nada possa escapar dela. A singularidade está protegida por um horizonte de eventos, ou seja, a superfície que nos separa do buraco negro. Matematicamente, quando temos uma singularidade, o espaço-tempo é quebrado. Para evitar esse problema, horizontes de eventos foram introduzidos. Mas a singularidade nua não tem horizonte de eventos. De acordo com os princípios fundamentais da Relatividade Geral, o Universo não permite singularidades nuas. A ideia é apropriadamente chamada de “hipótese de censura cósmica”. Simulações numéricas e as atuais teorias da gravidade quântica, no entanto, sugerem a possibilidade de sua existência.

 

Um fenômeno curioso acontece em descrever as propriedades de um buraco negro com uma abordagem da Mecânica Quântica sem incluir a gravidade. Se você olhar para um buraco negro para trás ou para a frente no tempo, ele se comporta exatamente da mesma forma e continua sendo um buraco negro.

 

A limitação mais importante, é a entropia – a medida da ordem de um sistema. De acordo com as leis da termodinâmica, a entropia líquida do Universo é sempre crescente, podendo diminuir localmente. Por exemplo: um congelador diminui a entropia da água transformando-a em gelo, mas seus motores emitem uma grande quantidade de calor, fazendo a entropia aumentar. Assim, os buracos brancos poderiam diminuir a entropia, uma peça fundamental de prova contra eles. Neste Universo, nós obedecemos às leis da termodinâmica, e, até agora, violações não confirmadas foram, supostamente, observadas.

 

Mesmo assim, com toda essa teoria misteriosa dos buracos brancos, não existem provas de sua existência. Pelo menos, não por enquanto.

[ IFLS ] [ Foto: Reprodução / NASA – Chandra ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.