Pesquisadores podem desvendar o comportamento dos buracos negros

de Julia Moretto 0

Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Quando um buraco negro morre, o que acontece com toda a informação?

 

Embora possa parecer lógico que a informação puxada pelo buraco negro desapareça, isso violaria as leis da física, fazendo com que muitos se perguntem se um desconhecido mecanismo de conservação poderia estar em jogo. Na década de 1970, Stephen Hawking propôs uma solução para este fenômeno – mas, até agora, foi quase impossível testar.

buracos-negros_03

Agora, os pesquisadores desenvolveram uma maneira de investigar o fenômeno disparando pulsos de laser por um alvo de plasma para gerar um “espelho de plasma de aceleração“. No estudo, pesquisadores da Universidade Nacional de Taiwan e da École Polytechnique, na França, explicam o método que poderá em desvendar o paradoxo. “Até o momento, as investigações permaneceram teóricas, uma vez que é quase impossível resolver esse paradoxo através de observações astrofísicas diretas de buracos negros“, escreveram os autores.

 

Aqui, ressaltamos que os espelhos de plasma podem ser acelerados drasticamente e interrompidos por impactos intensos de raios X em alvos de plasma sólido com um gradiente de densidade”. A solução proposta por Hawking se baseia em um par de fótons emaranhados perto do horizonte de eventos.

 

Nesta situação, um dos fótons é puxado para o buraco negro, enquanto o outro é capaz de escapar. O fóton que escapa carrega a informação com ele, impedindo sua perda. A nova experiência imita o comportamento dos fótons e do buraco negro usando um espelho de aceleração. Eles propõem que poderia ser um acelerador de partículas de próxima geração conhecido como acelerador de plasma Wakefield.

buracos-negros_02

Para testar as teorias, os pesquisadores sugerem disparar um pulso de laser através do plasma, o que criaria uma linha de elétrons à medida que ele se move. Isso atuaria como um limite de reflexão em movimento, com a densidade de plasma continuamente aumentada para manter o espelho acelerando.

 

Segundo os pesquisadores, testes preliminares conceito mostram que poderia ser possível realizar – embora seja extremamente difícil. Enquanto eles ainda precisam da experiência complexa, os pesquisadores dizem que um dia isso poderia ajudar a revelar o paradoxo da perda de informação do buraco negro e depois, investigar a distorção do espaço-tempo. 

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail / Wikimedia ]

Jornal Ciência