Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Suicídio entre jovens cai após legalização do casamento gay

de Merelyn Cerqueira 0

Segundo um estudo publicado recentemente na revista JAMA Pediatrics, após a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, as taxas de suicídio entre adolescentes norte-americanos experimentaram uma queda significativa. A pesquisa observou o impacto que a política tem sobre a saúde dos jovens, descobrindo que o efeito é visto não somente entre os que se identificam como LGBTQ, mas no público geral, de acordo com informações da IFLScience.

 

O estudo investigou como a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em 32 dos 35 estados dos EUA – que até o momento assinaram a lei – afetou a taxa de suicídios de mais de 760 mil estudantes entre os anos 1999 e 2015 em comparação aos outros 15 estados.

suicidios-entre-jovens-caem_2

Levando em contra outros fatores conflitantes, eles estimaram que a taxa de suicídio caiu 7% entre todos os estudantes, e impressionantes 14% entre estudantes LGBTQ. De acordo com Julia Raifman, que liderou o estudo, embora os estudantes ainda estejam no colegial e relativamente longe de um matrimônio, “permitir o casamento homossexual reduz o estigma estrutural associado à orientação sexual”.

 

Pode ser algo sobre ter direitos iguais – mesmo que eles não tenham planos imediatos de aproveitá-los – que faz com que os alunos se sintam menos estigmatizados e mais esperançosos sobre o futuro”, explicou. O suicídio tem sido reconhecido como uma ameaça significativa para adolescentes e atualmente é a segunda principal causa de morte entre pessoas com idades entre 10 e 24 anos. A questão ainda é mais pesada para aqueles que se identificam como LGBTQ, dos quais 29% já relataram ter tentando suicídio no último ano – comparado aos 6% de adolescentes heterossexuais.

suicidios-entre-jovens-caem_3

Acredita-se que as atitudes negativas em relação a pessoas do grupo LGBTQ sejam a força motriz de tudo isso, colocando, especialmente os adolescentes, em um risco aumentado de assédio moral, bullying e agressões físicas. Geralmente, jovens de famílias que os rejeitam têm 8,4 vezes mais chances de tentar suicídio do que os que possuem famílias mais abertas à orientação sexual dos filhos. 

 

Contudo, embora o estudo comprove que as taxas de suicídio entre os adolescentes nos estados norte-americanos com casamento gay legalizado caíram, os pesquisadores não estão certos se isso ocorreu devido à campanha política em torno da legalização ou se foi resultado direto da própria política.

 

Podemos apenas concordar que a redução de tentativas de suicídio é uma coisa boa, independentemente de nossas opiniões políticas”, disse Raifman. “Os formuladores de políticas precisam estar cientes de que as leis sobre os direitos das minorias podem ter um efeito real sobre a saúde mental dos adolescentes. Vindas de cima, elas podem ditar de maneiras positivas o que ocorrerá mais abaixo”.

[ IFL Science ] [ Fotos: Reprodução IFL Science ]

Jornal Ciência