Essa mulher afirmou ter dormido com mais de 10.000 homens e ela classificou-os em 10 categorias

de Merelyn Cerqueira 0

Gwyneth Montenegro, com 39 anos, foi uma das mais famosas acompanhantes de luxo da Austrália, afirmando ter ido para a cama com mais de 10 mil homens.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Residente de Melbourne, ela atualmente trabalha como behaviorista da intimidade, utilizando suas experiências para ajudar mulheres e garantir que essas não caiam em relacionamentos com o homem errado.

Montenegro revelou que sua vida mudou drasticamente quando, ainda como uma jovem cristã, foi drogada e estuprada por um grupo de homens.

O infeliz e criminoso incidente a levou a se tornar uma profissional do sexo, mais especificamente uma “acompanhante de elite”, talvez devido a um grave estresse pós-traumático não tratado.

Ela disse ter ficado surpresa quando pela primeira vez alguém lhe pagou por relações íntimas.

No entanto, após ter verificado que a vida escolhida não era nada fácil, desejou que isso não acontecesse com mais ninguém. Agora, está usando sua experiência para ajudar outras mulheres.

Em entrevista à revista Femail, ela afirmou que as mulheres são muito motivadas por suas emoções e coração e costumam desengajar o cérebro e a razão em busca de um final de conto de fadas.

Sendo assim, a culpa de terem seus corações partidos é unicamente de cada uma delas.

“Goste ou não, nós mulheres somos enganadas pelos homens por que deixamos”, argumentou. “Nós desligamos nosso cérebro e nos apegamos à zona de conforto e nossas emoções”.

“As mulheres, muitas vezes, desistem de seu controle e entram em um relacionamento em posição de necessidade”, disse ela acrescentando que ainda há muito estigma em torno de ser uma mulher solteira e pressão para estar em um relacionamento.

O objetivo dela então é ajudar as mulheres a evitar relacionamento tóxicos, impedindo que estas busquem apenas validação emocional ao encontrar parceiros apenas pensando nas expectativas sociais.

Em um de seus livros “MEN OUTPLAYED – The Explosive Guide That Reveals Why Men Play Women and What To Do About It”, ela agrupou os homens em 10 categorias:

Homens internos, que são leais e dirigidos por objetivos;

Homens primitivos, pouco íntimos, dominadores e patriarcais por natureza;

Homem prazeroso, caracterizado como o parceiro final com altos níveis de intimidade;

Homem banana, que está sempre aberto a mudanças, é íntimo, leal, amoroso, mas anseia por igualdade;

Homem conquistador, que é o tipo mais comum, charmoso, carismático e faz sucesso com as mulheres;

Homem tóxico e sem emoções, que deve ser evitado a qualquer custo;

Homem não-conformista, que é selvagem e aventureiro;

Homem pretencioso, que está sempre aberto a relacionamentos de longo prazo, anseia por segurança e sempre valoriza a própria opinião;

Homem desiludido, que embora esteja “machucado e com cicatrizes sentimentais” pode ser grande parceiro;

Homem filhote, que está sempre em busca de aventura e pode ser muito difícil de ser acompanhado.

A australiana também publicou o guia The Secret Taboo – The Ultimate Insider’s Guide to Being a Financially Successful Escort, em que revela os métodos que usou para alcançar o sucesso como acompanhante de luxo e como foi passar 12 anos exercendo a profissão.

Fonte: The Sun Fotos: Reprodução / The Sun

Jornal Ciência