Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

É assim que a Terra será daqui 100 milhões de anos

de Merelyn Cerqueira 0

Você certamente já parou para imaginar qual será a aparência de nosso Planeta em um futuro muito distante.

Filmes de ficção científica ou profecias religiosas à parte, a verdade é que ninguém realmente sabe como ele ficará. No entanto, os cientistas podem teorizar um cenário – e foi exatamente o que eles fizeram. Em um vídeo publicado pelo canal SpaceRip, eles mostram a provável aparência da Terra daqui 100 milhões de anos – e haverá algumas mudanças significativas.

e-assim-que-a-terra-sera_1

Primeiramente, os cientistas teorizam que a maior parte da crosta terrestre costumava estar agrupada em um grande conjunto. Basicamente, tratava-se de uma enorme massa, com a mesma aparência de outros planetas do Sistema Solar ou até mesmo de nossa Lua. No entanto, da mesma forma que a humanidade evoluiu, a Terra também o fez. Conforme aprendemos nas aulas de Geografia, essas placas se romperam, formando os continentes.

e-assim-que-a-terra-sera_2

Porém, os continentes não permaneceram em seu formato original, como você provavelmente já deve saber. Eles levaram milhões de anos para adquirir a aparência que têm hoje: América, Europa, Ásia, África, Oceania e Antártida. Contudo, em 100 milhões de anos, contando a partir de agora, as coisas serão muito diferentes e, se pudéssemos usar uma máquina do tempo para checar, certamente não reconheceríamos a Terra.

e-assim-que-a-terra-sera_3

Os cientistas responsáveis pela projeção sugerem que algumas áreas que atualmente são povoadas simplesmente deixarão de existir. O Continente Africano, por exemplo, experimentará algumas mudanças importantes. As alterações climáticas, resultantes da nossa ação, elevariam os níveis dos oceanos, o que essencialmente significaria o fim de muitas regiões habitáveis. 

e-assim-que-a-terra-sera_4

Ainda, nossos descendentes poderão esquecer passeios até a Torre Eiffel, na França ou Viena, na Áustria, essas regiões seriam submersas pelo mar. Agora, se você está se perguntando o que acontecerá com o continente americano, saiba de antemão que o cenário não é bom, especialmente para o Brasil, uma vez que um enorme pedaço seria submerso pelo Oceano Atlântico. E considerando que o Sol desapareceria, o mesmo iria ocorrer com a Califórnia, que afundaria no mar. A América Central também sofreria algumas baixas de massa terrestre.

Enquanto que, felizmente, um período de 100 milhões de anos não é algo que possamos marcar na agenda, podemos ter uma ideia do futuro e lamentar pelos nossos descendentes. Confira o vídeo da SpaceRip:

[ Lifebuzz ] [ Fotos: Reprodução / Lifebuzz ] 

Jornal Ciência