Coronavírus: tudo o que você precisa saber sobre o misterioso vírus da China

O vírus, que ficou conhecido após os primeiros casos de infecção na China, está se espalhando e já atingiu vários países, com vítimas fatais

de Osmairo Valverde 0

As autoridades de todo o mundo estão lutando para que o vírus não chegue em todo o planeta, mas parece ser uma missão quase impossível. Devido ao Ano Novo Chinês, cientistas estão preocupados com a disseminação, através da facilidade de voos internacionais, o que poderia levar o vírus para diversas partes do mundo em poucos dias. Mas, o que sabemos sobre ele?

O que sabemos sobre o coronavírus?

Identificado na China, seu nome é 2019-nCoV. É um tipo de coronavírus (ou seja, vírus que infecta nariz, garganta e seios da face) que apresenta sintomas semelhantes a uma pneumonia.

O vírus contaminou o primeiro paciente na cidade chinesa de Wuhan, em dezembro de 2019. Esta cidade tem a população estimada em 11 milhões de habitantes. 

As autoridades chinesas começaram uma investigação na primeira semana de Janeiro de 2020, após temores de que o novo vírus pudesse ser tão perigoso quanto o que provoca a SARS – um vírus que varreu a China e matou mais de 700 pessoas no mundo entre 2002 e 2003.

Após intensas investigações, os pesquisadores entenderam que o vírus não era um tipo de SARS e novos casos apareceram. Inicialmente, disseram que o vírus não era transmissível de humano para humano – mas, eles estavam errados.

Sintomas iniciais e origem

Os pacientes infectados apresentaram sintomas semelhantes a pneumonia, incluindo febre e dificuldade para respirar. O governo do país informou que acreditava que o vírus tinha se originado no mercado de frutos do mar, na mesma cidade. Por isso, inicialmente, todos acreditavam que era necessário ter contato direto com animais pescados para ser infectado.

Dia 20 de janeiro a China informou que a informação estava errada e que o vírus era transmitido diretamente de uma pessoa para outra e não apenas diretamente de animais. Isso é particularmente preocupante porque aumenta a chance de rápida expansão.


“Agora podemos dizer que, com certeza, é um fenômeno de transmissão humano para humano”, disse Zhong Nanshan, cientista do governo chinês, nomeado para ajudar a combater à doença. Horas depois, os cientistas identificaram ser um tipo de coronavírus, apelidado de vírus Wuhan.

Isso é tudo?

Apesar das informações preliminares, a ciência ainda não sabe o potencial deste vírus, já que estamos falando de uma “cepa” de vírus nunca antes vista contaminando humanos. Sendo assim, sintomas, comportamento, tempo de permanência, etc, ainda precisam ser estudados nos pacientes contaminados.

Alguns tipos de coronavírus não são graves, sendo considerados problemáticos apenas para pessoas com o sistema imunológico prejudicado, como é o caso de algumas doenças como a AIDS. Mas, outros tipos de coronavírus (como a temida SARS) são considerados mortais e muito preocupantes.

A mídia do país informou que medidas foram tomadas, como por exemplo equipar os trens e metrôs com detectores infravermelhos de calor, para vasculhar pessoas que possam estar com febre. Mas, esta medida foi tomada apenas em 14 de janeiro, quando centenas de casos já haviam sido confirmados.

Vírus se espalha pelo mundo

Casos já foram registrados em diversas cidades da China, na Coréia do Sul, Japão, Taiwan, Tailândia e Estados Unidos. Atualmente, há casos suspeitos em Cingapura que estão sendo monitorados.

Aeroportos de todo o mundo estão tentando impedir que o vírus se espalhe, vasculhando passageiros vindos da China que possam apresentar qualquer sinal de doença respiratória.

O Ano Novo Chinês, que dura uma semana, é considerado a “maior migração anual de seres humanos do mundo”, o que aumenta a preocupação mundial sobre o risco de uma pandemia.

Atualização

A China afirmou também que o vírus está sofrendo mutações, o que pode dificultar o controle, desenvolvimento de vacina e tratamento. A Comissão Nacional de Saúde da China disse, recentemente, que acredita que a epidemia ainda possa ser controlada.  

Hoje, 25/01, o vírus já matou 41 pessoas. Mais de 1.300 pessoas foram infectadas em todo o mundo e o número aumenta diariamente. Ao total, 4.711 pessoas na China estão sob observação médica para confirmação de novos casos. 

Fonte: Business Insider Foto de Capa: Daily Express

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!