Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Cientistas afirmam que o coração humano começa a bater 16 dias após concepção

de Merelyn Cerqueira 0

Ao que se sabe, nossos corações batem cerca de três bilhões de vezes ao longo da vida, no entanto, nunca esteve claro quando exatamente essa percussão biológica se inicia.

Pesquisa anteriores já chegaram a sugerir que isso ocorria ao redor do 21º dia de gravidez. No entanto, um estudo recente realizado por pesquisadores de Oxford, concluiu que os batimentos começam bem antes do que imaginávamos, no 16º dia após a concepção, segundo informações da IFL Science.

Registrar uma imagem direta do exato momento em que o coração de um embrião humano começa a bater é algo extremamente difícil. Para esse tipo de pesquisa, corações de ratos são muito utilizados, uma vez que, sendo eles mamíferos e com estruturas cardíacas semelhantes às nossas, os pesquisadores podem ter uma ideia de comparação.

Até então, acreditava-se que o coração de um roedor começasse a bombear oxigênio e nutrientes vitais pelos vasos sanguíneos por volta do 8º dia de desenvolvimento fetal, o que equivale a cerca de 21 dias para um ser humano. Nesta fase, no entanto, o coração é representado por um pequeno tubo.

De acordo com o pesquisador Paul Riley, professor de Medicina Regenerativa na Universidade de Oxford, ao descobrir quando o coração começa a bater, os especialistas podem identificar problemas de desenvolvimento e prevenir doenças cardíacas.

Com isso em mente, a equipe procurou identificar o movimento de um grupo de moléculas de cálcio dentro de um embrião de rato. O cálcio desempenha um papel chave na bioquímica do nosso corpo. Em sua forma ionizada, ele atua como um mensageiro bioquímico, transmitindo sinais elétricos entre as células, particularmente os neurônios, e durante o momento da fertilização.

Logo, já era de conhecimento dos cientistas que essa transmissão de íons de cálcio dentro e fora das células dos músculos do coração, os chamados cardiomiócitos, provocam a contração e iniciam os movimentos cardíacos. Contudo, o momento exato quando isso ocorria ainda era uma questão.

Depois de sinalizar essas moléculas com marcadores fluorescentes, os pesquisadores puderam descobrir o ponto exato de tempo em que os cardiomiócitos se comunicam – especificamente, uma proteína chamada NCX1, que regula a geração dos sinais de cálcio.

Sendo o primeiro órgão a ser formado dentro de um embrião, quando o coração entra em cena, todo o resto o segue, dando ritmo à vida. Logo, a compreensão desse momento é vital para o entendimento do surgimento e manutenção da vida. 

[ IFL Science ] [ Fotos: Reprodução / Pixabay 

Jornal Ciência