Hospital permite que paciente segure próprio coração após transplante

de Julia Moretto 0

O Baylor University Medical Center, em Dallas, no Texas, lançou um programa chamado “Heart-to-Heart“, em que pacientes têm a chance de segurar seus próprios corações após transplantes.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

 

Ele ofereceu a mais de 70 pessoas a oportunidade inédita de ver sua parte do corpo doente, antes de ela ser armazenada para um estudo mais aprofundado. Em meio à experiência, os médicos esperam educar os pacientes sobre as causas da insuficiência cardíaca. Tudo começou com Dr. William C. Roberts, um patologista cardíaco que guardou cada coração removido para estudar desde que se juntou à instituição em 1993.

Overwhelmed_John_Bell_left_and_three_unidentified_transplant

Isso permitiu que o especialista realizasse um dos mais detalhados documentos sobre doenças cardíacas em 2016, analisados ​​corações recolhidos entre 1997 e 2015. O médico começou a deixar os pacientes verem seus corações após a cirurgia. Logo, pacientes e médicos ouviram sobre a prática incomum do Dr. Roberts e pediram para se envolver. Finalmente, em 2014, o hospital criou o programa “Heart-to-Heart”.

1

John Bell, um dos primeiros pacientes do programa, descreve seu choque: “Foi bastante emocionante. Ele é um maior do que eu imaginava e impressão visual que eu tive dele no início era de um pedaço de carne assada“. No início deste mês, os médicos do Newark Beth Israel Medical Center, em Nova Jersey, fizeram o mesmo – masa pedido de um paciente. 

 

Dr. Margarita Camacho disse que nunca tinha feito isso antes, porém sua paciente Lisa Salberg, 48, que sofreu de cardiomiopatia hipertrófica, havia feito o pedido.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência