Adolescente tem epilepsia curada graças a uma cirurgia realizada por robô

de Otto Valverde 0

Billy Whitaker, 15, que vive na cidade de Cornwall, na Inglaterra, sofria de convulsões diárias desde os oito anos de idade.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Em razão disso, ele foi submetido a uma cirurgia convencional, removendo a parte de seu cérebro que estava falhando e causando os ataques, mas não houve sucesso.

No entanto, e a partir de uma nova tecnologia experimentada pela primeira vez – que consistia em um robô com eletrodos extremamente sensíveis que foram colocados no cérebro do jovem – uma série de incisões minúsculas foi feita para que os médicos conseguissem retirar com sucesso a parte do tecido responsável pela condição de Billy.

garoto-operado-por-robo_01

A cirurgia pioneira foi realizada no Hospital Bristol Royal para Crianças e o robô utilizado para a operação custou mais de 350 mil euros (mais de 1.5 milhões de reais). Os cirurgiões localizaram o epicentro de seus ataques e, com uma precisão absoluta, removeram essa parte falha, curando o jovem.

“Havia pequenas partes em seu cérebro que suspeitávamos que fossem responsáveis por causar esses ataques residuais”, relatou Michael Carter, um dos neurocirurgiões do caso, para o Daily Mail. “Usamos o robô para implantar uma série de eletrodos utilizando uma ultra e submilimétrica precisão para essas pequenas áreas do cérebro, a fim de verificar se os ataques de Billy estariam vindo dessas áreas”, completou.

Os médicos também acreditam que esse dispositivo representa uma transição revolucionária para a cirurgia de epilepsia. O robô, chamado de Neuromates, foi adquirido graças a doações de moradores locais para o Hospital, e os médicos decidiram que o adolescente era a pessoa ideal para receber a primeira cirurgia. 

O minúsculo ponto verde era o epicentro de seus ataques epiléticos.
O minúsculo ponto verde era o epicentro de seus ataques epiléticos.

Desde a operação inovadora, que foi realizada no mês passado, o jovem não relatou mais nenhum ataque, o que faz com que os médicos acreditem que ele está curado para sempre da epilepsia.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência