Tartaruga marinha é encontrada emaranhada em pacotes de cocaína no valor de R$ 175 milhões

de Merelyn Cerqueira 0

A Guarda Costeira dos EUA resgatou, na região do Pacífico oriental, uma tartaruga marinha, presa a diversos pacotes de cocaína, no último dia 19 de novembro.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

A droga, embalada em fardos revestidos de plástico e amarrados com cordas, poderia valer até R$ 175 milhões, e teria sido lançada ao mar por contrabandistas quando estes perceberam a aproximação das autoridades, segundo informações da Science Alert.

“Eles provavelmente sentiram o problema chegar e se livraram de tudo”, disse o comandante José Diaz à NBC News. A Guarda Costeira estava investigando um campo de detritos quando encontrou a tartaruga vulnerável. Eles notaram que ela estava emaranhada em 26 pacotes de cocaína – cerca de 800 quilos.

“A equipe notou tremores significativos em seu pescoço e nadadeiras”, escreveu a Guarda Costeira dos EUA em um comunicado. “Eles informaram o comandante e foram trabalhar, cortando com cuidado as linhas enroladas em torno da tartaruga marinha e depois liberando-a novamente ao mar”.

Segundo um relatório divulgado pela Administração Federal de Controle de Drogas, o uso e disponibilidade da cocaína nos EUA está aumentando, e é provável que o ritmo continue em curto prazo devido ao aumento do cultivo de coca na Colômbia.

A droga é geralmente transportada da Colômbia e República Dominicana por via marítima. Logo, cabe a Guarda Costeira patrulhar a região regularmente em busca de contrabando. Só em 2016, o número de apreensões da droga totalizou 188.700 quilos.

Este tipo de transporte é especialmente perigoso para as tartarugas marinhas, que são ameaçadas dentro de seu próprio habitat.

No início do mês, a Universidade de Exeter, no Reino Unido, anunciou que, à partir de uma pesquisa internacional, descobriu que centenas de animais morrem todos os anos devido a poluição plástica dos oceanos.  

A tartaruga marinha em questão foi descoberta enquanto a Guarda Costeira fazia uma patrulha antidrogas de 68 dias no Pacífico oriental, ao lado da Equipe de Aplicação da Lei Tática do Pacífico, um destacamento do Esquadrão Tático de Interdição e a defesa costeira da Marinha Real do Canadá.

Eles atuavam na chamada Operação Martillo, um esforço multinacional iniciado em 2012 para combater o tráfico internacional de drogas nas rotas costeiras da América Central.

Além de um total de 6.755 kg de cocaína, a patrulha apreender seis quilos de maconha e 24 suspeitos de contrabando.

Fonte: Science Alert Foto: Reprodução / Science Alert

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência