Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Menino “sem rosto” remove tumor do tamanho de bola de futebol da face, mas morre após este voltar com o dobro do tamanho

de Merelyn Cerqueira 0

Erick John Rwabirire, 17 anos, de Uganda, nasceu com um distúrbio ósseo raro que causou o crescimento de um gigante tumor em seu rosto. Quando o tumor começou a sufocá-lo, impedido que comesse ou bebesse, ele foi para o Reino Unido, em 2015, e cirurgiões conseguiriam remover o crescimento.

 

Após passar pela reconstrução facial, foi mandado de volta para casa, com o rosto visivelmente melhor. No entanto, poucas semanas depois, o tumor cresceu novamente, e ficou com o dobro do tamanho, resultando em sua morte, de acordo com informações do Daily MailA operação foi realizada com sucesso em 2015 e financiada por meio de doações de uma instituição de caridade. No período de tratamento, que durou cerca de nove meses, ele chegou a viver longe dos pais, bem como lutou contra a dor e estigma social.

menino-com-cancer_2

A história de Rwabirire veio à tona após um programa de TV britânico retomá-la em uma das produções. Nele são ressaltados os momentos finais da inspiradora vida do jovem, que arriscou a vida pelo desejo de viver uma vida normal. Disseram-me que posso morrer ou sobreviver, mas não sei como será”, teria dito antes de realizar a operação.

menino-com-cancer_3

O documentário também contou com imagens dos principais cirurgiões craniofaciais do mundo, Niall Kirkpatrick e Simon Eccles, que realizaram a operação de Erick no Crowell Hospital, em Londres. Os médicos foram capazes de remover um pedaço do crânio do garoto para dar-lhe uma nova mandíbula, após ela ter sido danificada pelo tumor. Ainda, colheram um pedaço de músculo da coxa para criar partes da boca.

menino-com-cancer_4

Apesar de ser apelidado como “o menino sem rosto”, ele frequentemente recebia elogios pelo otimismo em face às adversidades. Seu espírito notável e amor contagiante pela vida significa que todos os que o conheceram não só se apaixonaram por ele, mas também estavam determinados a fazer sua vida o melhor possível”, disse Jazz Gowans, diretor executivo da Transparent Television, responsável por produzir o programa. Agora, a família de Erick espera poder começar uma fundação de caridade em seu nome.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência