Menina de 7 anos com câncer raro comemora remissão da doença

de Gustavo Teixera 0

Uma menina de sete anos chamada Sophi Eber foi diagnosticada com um câncer raro em após um acidente.

Em fevereiro de 2016, ela estava passeando com a família quando esfregou sem querer um pelo de animal no olho, o que desencadeou uma reação alérgica. 

O olho ficou bom, mas sua frequência cardíaca foi alterada, e ela foi levada ao hospital. Em menos de um dia, os médicos descobriram que Sophi tinha neuroblastoma, um tipo de tumor nos nervos.

Os médicos iniciaram rapidamente o tratamento com quimioterapia e radioterapia. Quando Sophi estava se recuperando do tratamento, insistiu para ir ao seu primeiro dia de aula na primeira série em agosto do ano passado. 

Mesmo tendo perdido seus cabelos e as sobrancelhas devido ao tratamento de quimioterapia,Sophi ficou muito feliz em seu primeiro dia de aula.

menina-cancer-2

Bethany, a mãe de Sophi, disse que nenhum pai espera que seu filho tenha câncer, e que ela foi atingida com uma onda de choque e sofrimento. 

O neuroblastoma é um câncer de células nervosas que são especializadas no sistema nervoso e outros tecidos. 

O câncer geralmente começa nas glândulas dos rins e também pode acontecer de se formar no tecido nervoso em regiões do corpo como pescoço, tórax, abdômen ou coluna vertebral.

O neuroblastoma é um câncer raro, porém é mais comum em crianças e bebês. Existem menos de 20.000 casos relatados por ano em todo o mundo. 

A alteração da frequência cardíaca de Sophi foi um sintoma do câncer pois o tumor tinha ficado com um tamanho que dificultava o coração de bombear sangue para o corpo. Bethany disse que a diferença entre o último dia de aula de Sophi e o primeiro dia da escola é surpreendente. A primeira foto foi tirada após as 14 sessões de quimioterapia.

menina-cancer-3

“Quando começou a escola, ela estava em seu ponto mais baixo. Ela tinha perdido muito peso e usava um tubo no nariz para alimentação. Mas ela ainda queria ir à escola.

A escola era seu consolo porque lá não tinha que ser a filha com câncer. Ela estava nervosa por não ter cabelo, mas disse a si mesma que tinha bons amigos que não se importariam. Estou tão agradecida e orgulhosa da minha filha”, finalizou a mãe desta garota vencedora.

Fonte: Daily Mail Fotos: Reprodução / Daily Mail

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Jornal Ciência