Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Mãe esperou 7 horas para que seu filho de 2 anos passasse por cirurgia na cabeça

de Julia Moretto 0

Alisha Naylor, de 27 anos, levou seu filho Jack ao Royal Manchester Children’s Hospital (RMCH) depois que o menino de dois anos sofreu uma queda.

 

Ela alega que a equipe do hospital não conseguia lidar com o número de visitantes e cometeu uma série de erros ao cuidar de seu filho, inclusive perdendo sua receita.

mae-espera-por-cirurgia-do-filho_02

E quando Jack – que não tinha se alimentado por 24 horas sob o conselho de enfermeiras – foi finalmente colocado em uma cama, os médicos foram informados de que ela precisava de limpeza e não poderia ser usada. Em uma tentativa de chamar a atenção para a crise do NHS – sistema de saúde público do Reino Unido –, ela escreveu uma nota sarcástica de agradecimento do ponto de vista de Jack.

 

Parte da carta dizia: “Gostaria apenas de agradecer ao NHS por me deixar ir para casa naquela noite com um ferimento de 8 cm na minha cabeça, coberta apenas por esparadrapos e uma atadura. Foi muito divertido tentar puxá-los durante a noite, e também por me deixar jogar pega-pega com meus pais pai por sete horas no dia seguinte em seu grande departamento, enquanto você tentava arrumar uma cama no andar de cima. Eu estava com tanta fome e sede, porém, minha mãe continuou dizendo que eu não podia comer nada e eu não sabia por quê.Eu realmente não gostei de todas as agulhas que vocês colocaram em minhas mãos e de todas as bandagens que eu tinha em torno de mim, eu só queria arrancá-los”.

mae-espera-por-cirurgia-do-filho_03

Não houve nenhum cuidado ou compaixão apropriados. Eu escrevi a nota do ponto de vista de Jack porque ele é um bebê de dois anos que ficou agoniado por um dia. Ele não pode falar por si mesmo, mas eu queria dizer que era ele quem estava sofrendo por tudo isso”, disse Naylor.

 

A sala de espera estava fora de controle. Havia crianças esparramadas por toda parte no chão e baldes de doentes deitados ao redor. Jack, que bateu a cabeça em um banco, teve sua ferida tratada primeiramente no Salford Royal Hospital. Mas ele foi então transferido para RMCH.Mas tanto Naylor, quanto o pai de Jack, Dean Sunderland, 32, foram instruídos a irem para casa e trazer Jack na manhã seguinte.

mae-espera-por-cirurgia-do-filho_04

As enfermeiras mudaram de ideia, e pediram para a família chegar uma hora mais tarde.A equipe do hospital assegurou a ambos que ele seria colocado em uma enfermaria após sua chegada, mas eles foram instruídos a aguardar, já que não havia camas prontas. Quando Jack finalmente conseguiu uma cama, disseram que era necessária a limpeza antes do uso.A família foi então obrigada a esperar em uma sala, mas Jack estava inquieto por estar sem comer há muito tempo para a cirurgia. 

 

Quando Jack finalmente pode usar uma cama,a operação só foi realizada 45 minutos mais tarde.Na saída,ficaram esperando mais uma hora e meia, já que o pessoal havia perdido os antibióticos de Jack. Eu não posso acreditar que eles estavam nos fazendo esperar em uma sala. Estava frio e só tinha um par de cadeiras”, disse a mãe, que também apresentou uma queixa formal sobre sua experiência no hospital.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência