ID.Buzz: Kombi com motor 100% elétrico esgota rapidamente lote de 10.000 unidades na Europa

A montadora alemã Volkswagen esgotou todas as unidades colocadas à venda este ano, meses antes do início das entregas; entenda o que está por trás do sucesso do novo modelo que pode ultrapassar o valor dos R$ 300 mil

de Redação Jornal Ciência 0

Milhões de brasileiros já usaram, usam ou conhecem a famosa e antiga Kombi — que deixou de ser fabricada oficialmente em 2013 no Brasil, após 56 anos de produção contínua.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Ela foi desenvolvida pelo holandês Ben Pon em 1947, e a Kombi começou a ser produzida na Alemanha em 1949, mas por problemas na estabilidade, mesmo com ajustes para deixar a suspensão mais firme, o nível de ruído do motor a ar era muito alto, por não possuir revestimento acústico, obrigando a empresa lançar às ruas a Kombi somente em 8 de março de 1950.

Anotações do holandês Ben Pon, criador da Kombi

O novo modelo da Volkswagen chama-se ID.Buzz e é um sucesso de vendas na Europa pelo seu motor 100% elétrico, atendendo aos padrões de sustentabilidade exigidos em um mundo exigente pelas demandas de respeito ao meio ambiente — evitando combustíveis fósseis.

Meses antes do início da entrega oficial, e logo após a abertura de seus pedidos ao público, a Kombi elétrica esgotou seu lote de vendas na Europa, ultrapassando 10.000 unidades. Noruega e Alemanha foram os principais países a comprar o lançamento — alinhando a visão de mobilidade e sustentabilidade que estes países têm com a nova realidade do mundo.

Protótipo de lançamento da primeira Kombi, antes de ser lançada oficialmente às ruas

Destaca-se o caso da Noruega, que registrou 3.400 compras. O país nórdico já anunciou que vai banir os motores de combustão no seu território a partir de 2025, medida que contrasta com o objetivo da União Europeia, que pretende tomar a mesma medida, mas apenas a partir de 2030.

A Noruega é seguida pela Alemanha, que confirmou 2.500 compras da nova era da Kombi; enquanto Bélgica e Holanda somaram um total de 2.100 unidades juntas, de acordo com informações da Automotive News Europe.

“Ainda estamos em fase de lançamento. As pré-vendas ainda nem começaram na França e no Reino Unido. Ter 10.000 pedidos confirmados sem que o veículo esteja realmente nas concessionárias, sem que um cliente o tenha dirigido, isso é impressionante”, disse Lars Krause, chefe de vendas de veículos comerciais da Volkswagen.

Por enquanto, a empresa alemã confirmou que fabricará 15.000 unidades até o fim deste ano, com a promessa de aumentar a capacidade de produção para 60.000 até 2023 e 130.000 até 2024.

Embora a produção tenha começado no mês de maio, não existe previsão de entrega das unidades antes de outubro. Para o Reino Unido, as versões com volante à direita chegarão no início de 2023; os Estados Unidos terão que esperar até o início de 2024 para receber as primeiras Kombis com motor elétrico.

Como é a Kombi ID.Buzz?

Serão 3 versões: a Pro (61.480 euros, mais de R$ 310 mil) destinada a passageiros; a 1ª Edição limitada a 150 unidades (valor não divulgado); e a Carga (56.140 euros, mais de R$ 285 mil) para a variante comercial.

Comparando a famosa versão antiga com o lançamento elétrico

Todas as versões compartilham os mesmos detalhes: motor totalmente elétrico com 204 cv (a Volkswagen esclareceu que todas as versões serão limitadas a 145 km/h); bateria com capacidade líquida de 82 kWh e uma carga ultrarrápida de até 170 kW, com a qual passa de 5% a 80% em 30 minutos.

A versão Pro percorre 418 km por carga efetuada. A versão Cargo consegue ter desempenho ligeiramente menor, 414 km por carga. Sobre os aspectos de consciência ambiental, a Volkswagen garante que a maioria dos materiais usados no interior do veículo são feitos de fibras recicladas.

Por que o ID.Buzz é um grande sucesso?

Antes de tudo, é um veículo que, de alguma forma, revive o simbolismo da antiga Kombi dos anos 1950, que mexe com a memória afetiva de muita gente. A Kombi foi tão popular que era um dos ícones dos famosos movimentos hippie e da geração Woodstock.

Por outro lado, o ID.Buzz faz parte da estratégia de crescimento livre de emissões de carbono da Volkswagen, que por sua vez se enquadra no fenômeno da eletrificação dos carros da nova era — o mundo sabe que não podemos ser dependentes de derivados de petróleo em uma sociedade moderna e poluída.

Em vários países europeus já existem programas de subsídios para veículos elétricos e o novo modelo da VW enquadra-se nessa vantagem. Especificamente, hoje você pode comprar o ID.Buzz com um bônus de até 7.500 euros (mais de R$ 38 mil), que é descontado diretamente do preço líquido de catálogo.

Além disso, utilizar um veículo elétrico na Europa traz outros benefícios econômicos, como isenção do imposto sobre veículos (política que vigora há 10 anos na Alemanha); reduzindo os custos de energia e as despesas de manutenção.

Concluiu-se então que, com o ID.Buzz, a montadora alemã conseguiu reconverter sua famosa Kombi da década de 1950, atribuindo-lhe uma nova missão. Além do peso simbólico de seu papel no fenômeno pacífico de “mais amor e menos guerra” pregado pela geração hippie — a nova Kombi tem potencial para se tornar o rosto da luta pacífica contra as mudanças climáticas.

Fonte(s): La Nación Imagens: Divulgação / Volkswagen

Jornal Ciência