Carros voadores poderão ser produzidos em 2018, afirma empresa

de Merelyn Cerqueira 0

O trânsito pode ser uma verdadeira decepção para as pessoas. Para aqueles que fazem uma viagem diária entre trabalho e casa, o ciclo interminável e as rotas congestionadas podem ser estressantes e desgastantes.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

No entanto, os motoristas de um futuro próximo poderão receber um pequeno descanso: a empresa norte-americana Terrafugia já está trabalhando em um modelo de carro conceitual capaz de andar normalmente e também voar. O protótipo ficará pronto em apenas dois anos e pode ser disponibilizado para venda em até oito.

terrafugia-carro-voador_02

O modelo chamado de TF-X terá um motor de até 300 cavalos, podendo alcançar uma velocidade de até 322km/h, juntamente com uma autonomia de voo de até 805km. O veículo terá asas dobráveis com motores elétricos individuais ligados a cada extremidade, que permitirão que o carro se desloque da posição vertical para a horizontal em questão de segundos.

O modelo será semiautomático e terá espaço para quatro pessoas, que poderão controlar seus destinos através de um computador de bordo. “O motorista do TF-X terá a palavra final sobre uma zona de aterrisagem ser realmente um lugar seguro para pousar, podendo abortar a tentativa de pouso a qualquer momento”, disse a empresa.

O veículo também será capaz de evitar um suposto “trânsito aéreo”, além de mau tempo. Ele não navegará no espaço aéreo restrito a aeronaves controlados por torres. A parte ecologicamente correta está associada ao fato de o veículo funcionar com baterias, que poderão ser recarregadas a partir do motor, ou utilizando estações de carregamento de veículos elétricos.

terrafugia-carro-voador_01

Em um vídeo institucional, o veículo mostra ser capaz de decolar inclinando em 90° suas hélices movidas à energia elétrica. À medida que ele se move, as hélices paralelas de seu corpo giram até levantar voo. Quando o duto de ventilação é ativado, as hélices param de girar e se dobram para trás. A empresa, com sede em Boston, no momento está realizando alguns testes para medir arraste, sustentação, impulso e força do futuro protótipo.

Obviamente, para dirigir o modelo, os motoristas precisarão estar habilitados para dirigir carros e aviões (com, pelo menos, 20 horas de voo de experiência). No entanto, de acordo com os fabricantes, o TF-X só estará disponível no mercado daqui a oito ou 12 anos.

[ Daily Mail / Terrafugia ] [ Foto: Divulgação ]

Jornal Ciência