Fósseis raríssimos de espécies de répteis voadores são achados no Marrocos

de Redação Jornal Ciência 0

Três novas espécies de pterossauros com dentes afiados que habitaram a Terra há 100 milhões de anos no deserto do Saara e que capturava peixe em pleno voo foram descobertas por cientistas.

Remanescentes fósseis de pterossauros com dentes afiados foram achados na África por uma equipe de cientistas internacional liderada pela Universidade Baylor do Texas, nos EUA.

O réptil recém-descoberto tinha uma envergadura da asa de quase quatro metros e voava a uma grande altitude sobre o vasto ecossistema fluvial que existia no Saara naquela época, fazendo uso de suas asas longas para apanhar peixe.

Especialistas conseguiram identificar três novas espécies graças aos fragmentos de mandíbulas com dentes a partir dos fósseis descobertos na pequena vila de Beggaa, no sudeste do Marrocos.

Pterossauros viviam em um ecossistema africano repleto de vida, com peixes, crocodilos, tartarugas e dinossauros predadores, escreve Daily Mail. 

“Fósseis de pterossauros são muito raros, sendo maioria da Europa, América do Sul e Ásia”, afirmou Megan L. Jacobs, que chefiou o estudo da Universidade Baylor.

“Estes novos achados são notáveis e abrem uma janela ao mundo dos pterossauros na África do período Cretáceo”, acrescentou.


Mesmo sendo animais tão grandes, eles pesariam muito pouco, a envergadura de suas asas era de entre três e quatro metros, sendo seus ossos muito finos e porosos, cheios de ar, muito parecidos aos de pássaros de hoje. Isto permitia com que estas criaturas alcançassem tamanhos surpreendentes e ainda serem capazes de voar alto nos céus.


Pterossauros pegavam as suas presas em pleno voo, graças aos seus grandes e afiados dentes, revelou a equipe de cientistas.

Fonte: Sputnik News Foto: Pixabay

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!