O que aconteceria se todos os gatos desaparecessem do mundo?

de Merelyn Cerqueira 0

Você é do tipo que ama ou abomina os gatos? Antes de você responder essa pergunta de maneira negativa, saiba que eles desempenham um papel vital no ecossistema da Terra.

 

Embora sejam preguiçosos, independentes e por vezes pareçam não demonstrar amar seus donos, os gatos são responsáveis por manter a população de parasitas sob controle. Sendo assim, se subitamente desaparecessem do planeta, estaríamos em maus lençóis.

 

Segundo Alan Beck, professor de medicina veterinária e diretor do Center for The Human-Animal Bond, da Purdue University, gatos são predadores especializados com comportamentos de caça adaptáveis. Isto é, eles não dependem de nossa comida (ou lixo) para sobreviver.

“Eles são predadores significativos de pequenos animais e podem sobreviver quando a presa é escassa, assim como os animais mais solitários”, explicou Beck, acrescentando que os felinos “prosperam em alta densidade quando a presa é abundante”.

 

E é exatamente por isso que sentiríamos falta deles se fossem exterminados da Terra. Ao matar ratos e outros roedores, são vitais para manter o controle de pragas. Na Índia, por exemplo, os gatos possuem um papel ainda mais significativo, uma vez que ajudam na redução da quantidade de perda de grãos causada pelo consumo e contaminação de roedores. Em outras palavras, gostando ou não dos gatos, sem eles você certamente teria menos comida em sua mesa.

 

Além disso, sem a população de gatos, o número de roedores aumentaria drasticamente. Um estudo feito em 1997, na Grã-Bretanha, descobriu que um gato doméstico comum levou para casa mais de 11 animais mortos (ratos, pássaros, sapos e etc.) no decorrer de seis meses. Isso significa que, entre os 9 milhões de gatos que habitam a região, cerca de 200 milhões de espécimes selvagens são caçadas por ano.

Outro estudo, feito na Nova Zelândia em 1979, descobriu que, quando os gatos quase foram erradicados de uma pequena ilha, a população local de ratos rapidamente quadruplicou, o que provocou um efeito cascata com efeitos ecológicos. Por exemplo, à medida que o número de ratos aumentava e a de gatos diminuía, a população de aves marinhas cujos ovos eram consumidos por ratos também era reduzida.

 

Assim, se os cerca de 220 milhões de gatos domésticos do mundo desaparecessem, as populações de aves marinhas provavelmente diminuiriam em todo mundo, enquanto que as populações de predadores que não comem gatos, mas comem ratos, aumentariam. “Todas as espécies sofreriam um impacto”, explicou Beck.

 

Vale lembrar ainda que, além do peso ecológico, sofreríamos danos emocionais. Os gatos são muito amados pelo mundo e, embora existam mais famílias proprietárias de cães, há mais gatos domésticos pelo mundo, uma vez que, quem tem, quase nunca só tem um.

 

“Gatos como animais de estimação sempre foram apreciados pelo contato, manutenção reativamente baixa, rosto pedomórfico (inocente como o de uma criança) e morfologia incrível”, concluiu Beck.

[ MNN ] [ Fotos: Reprodução / Pexels ]

deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado

Você pode usar tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!