Por que dormir com os pés para fora das cobertas é ótimo para sua saúde?

Especialista diz que dormir com os pés descobertos pode fazer enorme diferença na qualidade do sono. Entenda o motivo

de Redação Jornal Ciência 0

Apesar de existirem várias regiões no Brasil que experimentam noites de temperaturas consideravelmente baixas, saiba que dormir com os pés para fora da coberta é excelente para sua saúde.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

A ciência sugere que a temperatura corporal e a qualidade do sono podem estar relacionadas. Isso porque uma temperatura corporal ligeiramente alta na hora de dormir, funciona como um gatilho para mantê-lo acordado.

De acordo com a pesquisadora e professora Dra. Natalie Dautovitch, da Universidade do Alabama, EUA, e da National Sleep Foundation (Fundação Nacional do Sono), apesar de parecer estranho, dormir com os pés descobertos garante uma noite melhor de sono.

Segundo ela, isso ajuda as pernas a manterem o corpo em uma temperatura média mais baixa. Em outras palavras, você acaba dormindo mais rápido e de forma mais profunda.

Em entrevista à revista New York Magazine e de acordo com informações da Business Insider, a Dra. Dautovitch afirmou que os pés são umas das melhores partes do corpo quando o assunto é se livrar do calor corporal.

As solas dos pés não possuem pelos, e contêm as chamadas anastomoses arteriovenosas, conhecidas estruturas que ligam artérias às veias, antes que ambas se reúnam aos vasos capilares.

Logo, quando o dia está mais quente, essas estruturas se dilatam para permitir uma maior passagem de sangue para a pele, tentando resfriá-la.

Essas estruturas são mais proeminentes em algumas partes dos pés como os dedos, mas também estão presentes nas mãos, nariz, ouvidos, pálpebras, lábios, bochechas e testa. Este é o motivo de nossas mãos, pés e nariz ficarem gelados quando o dia está frio.  

Segundo a especialista, a temperatura de nosso corpo já começa a cair antes mesmo de dormir (cerca de 1 a 2 graus) e, em seguida, uma nova queda ocorre, mas quando já estamos dormindo.

Logo, cobrir completamente o corpo vai aquecê-lo novamente. “Eu acho que é interessante tentar esfriar nosso corpo. Colocar alguns dedos do pé para fora, ou todo o pé, pode garantir um sono mais restaurador. Fazer isso enquanto tenta pegar no sono, pode ser uma forma de conseguir dormir melhor”, afirma a Dra. Dautovitch.

Você ainda pode tomar um banho morno antes de deitar ou beber algo quente antes de dormir, porque ambos os métodos podem ajudar o corpo a esfriar.

Beber água gelada ou alimentos frios antes de dormir pode não ser uma boa ideia porque causa vasoconstrição, ou seja, “aperta” os vasos sanguíneos, o que ajuda a esquentar o corpo e reter mais calor.

Para uma noite de sono ser considerada boa, a temperatura ambiente deve estar entre 19ºC e 22ºC. Você até pode garantir essa estabilidade com ar-condicionado, mas sabemos que poucas pessoas têm acesso e podem manter o custo energético do aparelho.

Deixar o vento natural ou de ventilador bater diretamente no corpo também ajuda, mas a Dra. Dautovitch afirma que resfriar a parte inferior do corpo tem mais eficácia para um sono profundo.

Só no Brasil, mais de 73 milhões de pessoas sofrem de insônia, segundo a Associação Brasileira do Sono, e a incapacidade de regular a temperatura corporal (entre vários outros fatores) é um dos agentes que contribuem para uma má qualidade do descanso na hora de dormir.

Fonte(s): Business Insider  / NY Magazyne Imagens: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência