Estrela de Belém foi resultado de um alinhamento planetário, diz estudo

de Merelyn Cerqueira 0

Durante centenas de anos, cientistas e teólogos permaneceram perplexos em relação à origem da Estrela de Belém, que de acordo com a Bíblia, apareceu no céu para guiar os Três Reis Magos ao local exato do recém-nascido Jesus Cristo

 

No entanto, uma nova pesquisa sugeriu que a estrela, na verdade, era um raro alinhamento planetário, envolvendo Sol, Júpiter, Lua, Saturno e a constelação de Áries, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

 

O estudo analisou registros históricos, astronômicos e bíblicos, constatando que o evento de 6. a.C., foi realmente uma rara formação planetária. A análise foi feita por Grant Mathews, professor de Astrofísica Teórica e Cosmologia no Departamento de Física da Universidade de Notre Dame, que há mais de uma década estuda a Estrela e Belém.

 

Por anos, astrônomos, historiadores e teólogos ponderaram sobre a questão da chamada “Estrela de Natal”, considerando onde e quando apareceu, como realmente era e porque entre as outras bilhões de estrelas no céu, apenas uma teria brilhado intensamente naquele dia. “A astrofísica moderna é o que usamos para tentar explicar um dos maiores eventos astronômicos da História”, disse Matthews.

 

Segundo ele, enquanto o alinhamento em questão ocorria, Vênus estava na constelação de Peixes, e Mercúrio e Marte estavam em Touro, do outro lado. Ainda, durante o evento, Áries também foi palco para o Equinócio. Para os Magos, considerados sacerdotes do zoroastrismo da antiga Babilônia e Mesopotâmia, este alinhamento teria simbolizado o nascimento do prometido Messias na Judeia.

Júpiter e a Lua, juntos, representavam o nascimento de um governante com um destino especial, enquanto Saturno era o símbolo da vida, de acordo com o evangelho de Mateus. Assim, com a presença de Áries no equinócio vernal, que marca o início da primavera, “os Magos teriam visto a luz no Leste e reconhecido o que simbolizava um nascimento real na Judeia”.

 

De acordo com Matthews, um evento deste tipo é extremamente raro e não será visto novamente em 16 mil anos, e mesmo se ocorresse, o equinócio vernal não estaria em Áries. Logo, e calculando 500 mil anos no futuro, o pesquisador afirmou que nenhum alinhamento como o da Estrela de Natal poderia ser encontrado.

 

A descoberta em questão poderia ajudar a explicar a verdadeira natureza indescritível estrela. E no momento, o pesquisador está trabalhando em um livro onde descreverá todas as suas descobertas.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / He is coming ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.