Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Fóssil de lontra gigante de 6 milhões de anos é descoberto na China

de Merelyn Cerqueira 0

O fóssil de uma espécie de lontra gigante (Siamogale melilutra), que viveu durante o período Mioceno, há cerca de 6 milhões de anos, e pesava cerca de 50 quilos, foi encontrado na província de Yunnan, sudoeste da China.

 

 Os pesquisadores descobriram o osso em águas rasas, e o achado agora poderá contribuir para a compreensão de outros aspectos da vida do animal, de acordo com informações do Daily Mail.

 

O fóssil da lontra foi encontrado por uma equipe internacional de pesquisadores, liderada pelo Museu de História Natural de Los Angeles. A espécie, que logo foi nomeada como S. melilutra, tinha aproximadamente o tamanho de um lobo e era quase duas vezes maior do que as lontras atuais.

 

Até o momento, a Ciência tem como a linhagem mais antiga de lontras uma que remonta pelo menos há 18 milhões de anos, designada a partir fósseis de dentes isolados encontrados na Tailândia.

 

Na descoberta recente, por outro lado, foi encontrado um crânio completo, com uma mandíbula poderosa, dentição e vários outros elementos esqueléticos bem preservados. 

 

Segundo Dr.ª Denise Su, curadora e chefe de Paleobotânica e Paleoecologia do Museu de História Natural de Cleveland, nos EUA, embora o crânio esteja completo, ele foi achatado durante o longo processo de fossilização. “Os ossos são tão delicados que não poderíamos restaurá-los fisicamente”, explicou. “Ao invés disso, nós o escaneamos e praticamente o reconstruímos no computador

 

As imagens revelaram uma combinação de características na cabeça e dentição semelhantes à de uma lontra ou texugo. A grande e poderosa mandíbula e dentes arredondados, de acordo com os pesquisadores, eram ideais para o animal se alimentar de grandes moluscos de água doce.

 

Por meio da vegetação e de outros grupos de animais encontrados em Shuitangba, sabemos que o local costumava ser um lago pantanoso e raso, com vegetação bastante densa”, disse Dr.ª Su.

 

Para os pesquisadores, os grandes e arredondados dentes da Siamogale melilutra poderiam ser um traço herdado de um antepassado comum. “Nossa análise filogenética sugere que a dentição apareceu de forma independente em pelo menos três vezes na história evolutiva das lontras”, explicou Dr. Xioming Wang, principal autor do artigo.

 

A descoberta da lontra ajudará a resolver algumas questões sobre as relações delas com o meio ambiente, ao passo em que também abre portas para novas perguntas”, disse. “Por exemplo, por que eram tão grandes, como abriam moluscos para comer, e como se moviam na água e na terra”.

 

De acordo com Dr.ª Su, mais estudos serão feitos para abordar essas perguntas fundamentais, fornecendo uma imagem mais completa do animal.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência