Essa menina vivia de uma maneira que você realmente não vai acreditar

de Merelyn Cerqueira 0

Rahma Haruna, de Kano, Nigéria, nasceu como uma condição rara que fez com que não desenvolvesse completamente seus membros e sofresse com dores constantes.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Ela passava a maior parte dos dias dentro de uma bacia, onde era transportada por sua família. Apesar de sua deficiência, os pais afirmam que, assim como qualquer outra jovem de sua idade, vivia feliz, até que morreu no ano passado, devido a uma série de complicações em sua saúde, segundo informações do jornal inglês Daily Mail.

menina-bacia_1

Apesar de ter nascido saudável, aos seis meses de vida, seu crescimento parou de forma súbita, impedindo-a de desenvolver certas partes do corpo.

De acordo com a mãe, Fadi, nesse período ela aprendeu a sentar, mas não a engatinhar. Logo, começou a reparar que a criança estava tendo febres e dores de estômago.

A família, desde então, fez o possível para fornecer a Haruna uma vida plena – algo que fazia transportando-a pela aldeia onde vivia em bacia de plástico.

menina-bacia_2

As causas da condição da jovem não foram descobertas, apesar da família investir na obtenção de um diagnóstico.

“Eu vendi quase todas as minhas posses, mas não passou de mais de um milhão de nairas (10.775 reais)”, disse o pai, Hussaini. “Só Deus sabe o quanto eu gastei”.

menina-bacia_3

Os médicos da região ficaram perplexos com a condição de Haruna, e alguns chegaram a considerar que ela teria sido atingida por um jinn – um ser sobrenatural da mitologia islâmica. 

A família então poderia apenas esperar que alguma instituição de caridade ou médicos especialistas ajudassem com a causa. Algo que de fato ocorreu quando o caso foi divulgado pela imprensa local. Haruna recebeu algumas doações generosas, incluindo uma cadeira de rodas.

Antes de sua morte, e apesar de sua condição e dos desafios diários enfrentados, Rahma dizia se sentir esperançosa sobre seu futuro e tinha o sonho de abrir sua própria loja. 

“Eu agradeço a Deus por tudo o que faço”, dizia. “Quero começar um negócio. Uma mercearia ou qualquer coisa que as pessoas possam comprar. É isso que eu quero”.

Fonte: Daily Mail / The Sun Fotos: Reprodução / Daily Mail

Jornal Ciência