Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Com centenas de tumores pelo corpo, bengalês de 47 anos agora também enfrenta cegueira

de Merelyn Cerqueira 0

Shadot Hossain, 47 anos, de Shajadpur, Bangladesh, sofre de uma condição genética – acredita-se que neurofibromatose – que causou o crescimento de centenas de tumores não cancerosos em seu corpo.

 

Sua aparência consegue assustar todas as crianças da vila onde mora e até mesmo Abdullah, seu filho mais novo de 12 anos. Hossain no momento está correndo contra o tempo para conseguir passar por uma cirurgia, uma vez que, sem ela, poderá perder permanentemente a visão, hoje já comprometida.

neurofibromatose_03

É muito difícil viver assim”, disse o pai de três filhos. “No momento em que alguém me vê, já tenta se afastar. As crianças, quando me olham, veem apenas uma aberração e logo saem correndo”. Elas me chamam de ‘monstro’, mas eu nem sempre vivi nestas condições”, continuou. “Eu não posso fazer nada com meu filho ou família. Sinto-me muito mal e às noites não durmo com medo”.

 

Quando sua condição começou a piorar, precisou largar o emprego. Em casa, já não conseguia mais realizar as tarefas cotidianas mais comuns. Sem renda regular, não pode pagar remédios ou tratamentos adicionais para remover os tumores. Sua esposa, Tajmohel Khatun, de 39 anos, viu o impacto da condição do marido em casa, quando a falta de finanças começou a afetar a família.

 

Ele não é capaz de fazer nada sozinho”, disse. “Precisamos ajudá-lo a ir ao banheiro e trocar de roupa.” Os vizinhos nos oferecem ajuda, já que não tenho mais como ganhar a vida”, continuou ela. “Meu marido está doente e tenho que aceitar esse fato. Temos duas filhas casadas, mas, por causa de nossa crise financeira, não posso enviar o mais novo para a escola”.

 

Quando conheceu Tajmohel, Shadot já havia começado a desenvolver os tumores, mas à época ainda conseguia levar uma vida normal. Ele percebeu pela primeira vez os sintomas quando, com 13 anos, notou um crescimento na testa. Eventualmente, a condição se tornou aguda. Nos últimos cinco anos, os tumores cresceram e cobriram todo o meu corpo”, disse ele. “Meus olhos foram cobertos por eles e agora não posso ver corretamente”.

neurofibromatose_02

Logo, sem intervenção cirúrgica, os médicos acreditam que Shadot corre o risco de ficar permanentemente cego. Eu nunca vi um caso como este antes”, disse Dr. Mahmudul Hassan que atendeu Shadot. “A condição do paciente é muito grave. Precisamos cortar as camadas que estão sobre os olhos para corrigir a falta de visibilidade”.

 

No entanto, a condição financeira atual da família impediu a continuidade do tratamento. Eles apelaram então para doações e a ajuda do governo. Embora este último ainda não tenha se manifestado, os esforços da caridade conseguiram ajudar Shadot. Nas próximas semanas ele viajará até Dhaka para fazer exames e receber um diagnóstico completo de sua situação. Peço a Deus que cure meu marido, para que eu não tenha que viver o resto da minha vida como uma viúva”, disse Tajmohel. “Não há paz em nossas vidas”.

 

O que é a neurofibromatose?

Trata-se de uma série de condições genéticas que causa o crescimento de nódulos pelo corpo e afeta apenas um a cada 3.000 nascimentos. A gravidade da doença pode variar consideravelmente entre os casos, mas os sintomas costumam incluir problemas comportamentais, dificuldade de enxergar e pressão arterial elevada. Apesar da aparência alarmante, os nódulos não são cancerosos ou contagiosos.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ] 

Jornal Ciência