Canela pode te deixar mais inteligente, de acordo com estudo

de Merelyn Cerqueira 0

Pesquisadores da Rush University Medical Center, em Chicago, EUA, afirmaram não ter dúvidas de que a canela pode melhorar a capacidade cognitiva de ratos com dificuldades de aprendizagem.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

De acordo com eles, o tempero não só é saboroso, como também é um potencial amplificador de inteligência. Segundo informações da Fanpage.it, o estudo, publicado no Journal of Pharmacology and NeuroImmune, mostrou com detalhes como a canela age sobre o cérebro dos roedores.

Os cientistas explicaram que uma região do cérebro chamada hipocampo, localizada no lóbulo temporal, é responsável pelo crescimento da nossa compreensão, além de desempenhar um papel importante na organização da memória de armazenamento.

Logo, nas pessoas com dificuldade de aprendizagem, há uma redução de uma proteína chamada CREB, associada à memória e aprendizagem, enquanto há uma maior concentração de outra chamada GABRA5, que inibe a condutância do cérebro.

Conscientes dessas informações, os pesquisadores administraram pequenas quantidades de canela em um grupo de ratos anteriormente divididos entre mais e menos inteligentes. Eles observaram que o tempero contém benzoato de sódio (utilizado para tratamento de pacientes com danos cerebrais), e foi capaz de aumentar os níveis de CREB e reduzir o GABRA5, estimulando assim a plasticidade dos neurônios no hipocampo, deixando os roedores mais inteligentes.

Em contraste a isso, os cientistas curiosamente observaram que a canela parece não ter efeitos nos animais já considerados inteligentes. Em outras palavras, nestes não foram observadas melhorias.

Uma vez que for adaptada para ser replicada em seres humanos, a descoberta poderia representar um ponto de partida para tratamentos de pessoas que sofrem com dificuldades de aprendizagem.

[ Scienze ] [ Foto: Reprodução / Pixabay ]

Jornal Ciência