Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

A forma como você cruza os braços pode revelar algo sobre sua personalidade

de Gustavo Teixera 0

Os seres humanos podem mostrar sua maneira de ser a outras pessoas através de suas ações. Aspectos visíveis e claros podem revelar a personalidade de uma pessoa.

 

No Japão por exemplo, a linguagem corporal é considerada importante e até mesmo a maneira como os estudantes japoneses se sentam nas salas de aula é corrigida de forma assídua. Outro aspecto da linguagem corporal pode revelar muitas coisas sobre uma pessoa. Trata-se da maneira de cruzar os braços. Em algumas situações do cotidiano, as pessoas cruzam seus braços, sendo que, na maioria das vezes, fazem isso de maneira inconsciente.

maneira-que-vc-cruza-os-bracos

Cruzar os braços é um movimento repetido e feito por muitas pessoas, mas poucos sabem o porquê disso. Existem várias formas de cruzar os braços, sendo que 60% dos humanos tendem a colocar seu braço esquerdo sobre o direito. Uma universidade japonesa realizou um estudo que revelou que a forma como você cruza os braços pode mostrar traços da sua personalidade.

 

Segundo o estudo, pessoas que cruzam o braço esquerdo por cima do direito se destacam por serem sociáveis e capazes de ajudar pessoas que não conhecem. Normalmente, essas pessoas chamam amigos para realizar um plano em conjunto e têm personalidade suave. Elas são mais enérgicas e não param até que seus objetivos sejam cumpridos, no entanto, são mais exigentes do que o normal.

 

Outro ponto destacado pelo estudo é que quem coloca o braço esquerdo por cima do direito é criativo e pensa muito antes de realizar alguma tarefa. Já pessoas que posicionam o braço direito por cima do esquerdo são mais conservadoras, inteligentes e às vezes podem parecer distantes de suas famílias, segundo o estudo. Os pesquisadores também notaram que são pessoas indecisas. Essa pesquisa não é uma regra absoluta, mas é possível que muitos pontos estejam corretos.

[ Para os Curiosos / Rocket News ] [ Foto: Reprodução / Para os Curiosos ]

Jornal Ciência