Sucessão digital: rede social permite que usuários definam seus herdeiros virtuais

de Julia Moretto 0

Você sabia que é possível escolher um herdeiro para gerenciar as suas contas nas redes sociais quando alguma fatalidade acontece?

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Diversas páginas na internet, como o Facebook,oferecem essa opção. Para isso acontecer, a rede social precisa ser comunicada sobre o óbito, para que ela possa alterar a conta do falecido.

A Lei 12.965, conhecida como Marco Civil da Internet, trata do tema. Normalmente outras áreas do direito tratam de cada caso específico.

Facebook

No Facebook por exemplo, é possível escolher em vida se deseja que, após sua morte, a conta vire um memorial ou se prefere apagá-la quando morrer. Para realizar as modificações – colocar na frente do nome “em memória de” – o Facebook precisa saber sobre o óbito.

Quando a conta não tem um herdeiro, ela passa a ser chamada de memorial e não sofre alterações. O herdeiro indicado pelo usuário poderá realizar postagens, aceitar ou recusar pedidos de amizade e atualizar a foto de perfil e da capa. No Instagram, a política é parecida.

Google

O Google pode deletar a conta de um usuário depois do pedido de familiares diretos, mas não oferece senhas ou login. Essas informações só seriam passadas depois de uma ação judicial analisada cuidadosamente.

As contas que não foram usadas por nove meses ou mais ficam automaticamente inativas, mas os usuários podem cadastrar como gerenciador de contas inativas,um contato de confiança que receberá uma notificação quando isso ocorrer.

Quando isso ocorrer, estes contatos receberão um link para baixar tudo o que estiver no Gmail. Caso o falecido não tenha feito isso, a família pode receber a “herança” digital depois do preenchimento de um formulário com a apresentação de documentos.

Twitter

O Twitter pode desativar a conta de uma pessoa escolhida ou o pedido da família. Para que não ocorram fraudes, a empresa pede para que os familiares apresentem documentos e contem mais sobre o falecido.

O Twitter também pode remover as imagens em respeito aos familiares.

Fonte: R7 Fotos: Reprodução / R7

Jornal Ciência