Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Segunda Terra? Novo planeta é descoberto com grande possibilidade de existir água e vida!

de Merelyn Cerqueira 0

Segundo os cientistas, podemos ter recebido nossa melhor chance de encontrar vida alienígena no espaço.

Um planeta rochoso a apenas quatro anos-luz de distância da Terra foi encontrado no espaço, perto o suficiente para que possa ser alcançado por futuras missões espaciais. Chamado de Proxima b, ele orbita a estrela Proxima Centauri, localizada “bem perto” do Sistema Solar.

Com 1,3 vezes o tamanho da Terra, acredita-se que ele tenha a temperatura adequada para abrigar a existência de água, um quesito fundamental para a manutenção de prováveis vidas como a conhecemos.

planeta-Proxima-b
Ilustração mostrando uma possível vista da estrela Proxima Centauri se estivéssemos no planeta Proxima b.

Especulações sobre a descoberta já haviam sido sugeridas na semana passada, pelo semanário alemão Der Spiegel. O jornal dizia que uma fonte anônima teria confirmado a descoberta. Agora, os astrônomos afirmaram ter evidências claras da existência do planeta em nossa estrela mais próxima e que até poderia ser considerado uma “segunda Terra”.

O grupo de pesquisadores fez as observações por meio de telescópicos do Observatório Europeu do Sul (ESO) durante este mês de agosto.

Imagem que mostra, hipoteticamente, a distância que teríamos que percorrer para alcançar o planeta Proxima b.
Imagem que mostra, hipoteticamente, a distância que teríamos que percorrer para alcançar o planeta Proxima b.

Anteriormente, milhares de exoplanetas haviam sido descobertos, mas, ao contrário dos outros, o Proxima b é o único que está relativamente ao nosso alcance. Enquanto quatro anos-luz ainda é considerada uma longa distância – mais de 40 trilhões de quilômetros e 15.000 anos de viagem se considerarmos nossa tecnologia atual – as futuras gerações de foguetes poderiam ser capazes de realizar viagens de exploração ou até mesmo colonizá-lo. Estima-se que nessas condições os futuros astronautas levarão cerca 20 anos para chegar lá, se viajando a uma velocidade de aproximadamente 60.000 km/s.

planeta-Proxima-b_04

Contudo, deve-se considerar um possível obstáculo para a potencial existência de vida ali, e envolve a forma como ele ‘abraça’ sua estrela-mãe. Proxima b está a apenas 7,3 milhões de km da estrela, o que equivale a 5% da distância entre a Terra e o Sol, e leva apenas 11,2 dias para completar uma órbita.

A Proxima Centauri, descoberta em 1915, faz parte das três estrelas do sistema Alpha Centauri, que está localizada a apenas 4,2 anos-luz do nosso Sistema Solar. É uma anã vermelha que irradia muito menos calor do que o Sol e ocupa a ‘zona habitável’ (ou zona de Goldilocks), onde as temperaturas são amenas o suficiente para permitir a presença de água líquida na superfície.

planeta-Proxima-b_05

Acredita-se que a temperatura da superfície de Proxima b poderia estar entre -90 graus Celsius e 30°C. Porque recebe potentes raios ultravioletas da estrela, qualquer vida que tenha surgido ali teria de ser evoluída o suficiente para suportar a radiação. Além disso, uma atmosfera potencialmente composta por elementos simples, como a água e dióxido de carbono – que são necessários para a formação de ciclos bioquímicos (ou vida) – poderiam estar presentes e interagindo entre si na superfície do planeta.

Os cientistas agora afirmaram que será necessário estudar muito mais desse sistema antes de começar a responder algumas das perguntas mais básicas. “No entanto, é um ótimo lugar para começar a olhar para a vida fora do nosso Sistema Solar e é uma descoberta muito emocionante”, disse o pesquisador Dr. Mikko Tuomi, do Centro para Pesquisa Astrofísica na Universidade de Hertfordshire.

Imagem que ilustra comparativamente o tamanho do nosso Sol com a estrela Proxima Ceutauri.
Imagem que ilustra comparativamente o tamanho do nosso Sol com a estrela Proxima Ceutauri.

A equipe de cientistas por trás da descoberta é chamada de Pale Red Dot, e inclui pesquisadores da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido; Queen Mary University of London, Instituto de Astrofísica da Andaluzia em Granada, na Espanha; Universidade de Göttingen, na Alemanha, entre outras.

As próximas informações sobre as condições ambientais de Proxima b serão fornecidas em breve, de acordo com os pesquisadores. Agora que foi detectado, haverá maiores oportunidades de observações e acompanhamento. Contudo, questões sobre a detecção de potenciais vidas alienígenas só poderão ser respondidas nas próximas décadas.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Divulgação / Daily Mail ]

Jornal Ciência