Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Presidiário engole celular e precisa passar por uma laparotomia para retirá-lo do estômago

de Merelyn Cerqueira 0

O caso aconteceu em Dublin, na Irlanda, e foi relatado pelos médicos no International Journal of Surgery Case Reports.

Um homem de 29 anos, que estava preso, foi levado às pressas para um hospital após vomitar por cerca de quatro horas. Conhecido por ter problemas psiquiátricos e sociais, ele contou aos guardas que havia engolido seu telefone celular. Seis horas passadas desde o incidente, ele foi internado. Por falta de credibilidade, os funcionários não acreditaram em sua versão.  

presidiario-engole-celular_01

Eventualmente, foi realizada uma radiografia de tórax, que mostrou o dispositivo logo acima do estômago. Oito horas depois, exames revelaram que o telefone havia se movido para o estômago, ainda sem chegar ao intestino. Assim, os médicos decidiram realizar a operação.

Primeiramente, os cirurgiões inseriram um endoscópio –  um tubo fino, longo e flexível com uma câmera de vídeo em uma das extremidades – para que pudessem localizar o telefone e arrastá-lo para fora do estômago através do esôfago. Mas quando isso falhou, eles foram forçados a realizar uma laparotomia – em que uma grande incisão é feita no abdômen – e dessa forma, o dispositivo foi recuperado com êxito. Os médicos relataram que o paciente havia se recuperado completamente.

Quando o aparelho foi retirado, verificou-se que era de tamanho médio. “Como o paciente era um prisioneiro, o telefone foi enviado como amostra para exames pela perícia da polícia”, escreveram os médicos na revista.

Cirurgias como a laparotomia são necessárias em menos de 1% dos casos de ingestão de corpos estranhos, de acordo com os médicos. Sendo assim, cerca de 10% a 20% dos pacientes são submetidos a uma endoscopia, que é o procedimento preferido, uma vez que é menos invasivo e não causa cicatrizes. No relatório eles afirmam que os objetos mais engolidos pelas pessoas são, normalmente, moedas e ossos.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência