Homens vítimas de estupro quebram silêncio e falam sobre a falta de apoio da sociedade

de Merelyn Cerqueira 0

A violência sexual é uma das mais terríveis armas já criadas pela sociedade. Embora as mulheres sejam estatisticamente comprovadas as maiores vítimas desse tipo de crime, os homens também estão expostos a ele.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Tal abuso, geralmente, é visto dentro do contexto da guerra, em regiões de conflito bélico, embora possam acontecer a qualquer hora e lugar. Contudo, enquanto é igualmente doloroso para as vítimas falar sobre o problema, os homens, muito mais do que as mulheres, tentam esconder uma ocorrência a fim de evitar a vitimização.

tristeza-depressao_01

Dito isso, de acordo com artigo publicado pelo Daily Mail, vítimas masculinas de abuso sexual quebraram o silêncio para falar sobre a agressão e falta de apoio da sociedade. Uma das vítimas, que teve a identidade preservada, revelou que tinha apenas 14 anos quando foi abusado por um jovem de 20. Ela estava em um acampamento da escola e em um primeiro momento guardou segredo do crime. Então, passados oito meses de sua violação, quando tentou entregar seu agressor a uma linha de emergência, foi-lhe dito que nada poderia ser feito.

Eles me disseram muito claramente pelo telefone que o número que eu havia ligado era apenas para mulheres e meninas”, disse em entrevista ao Telegraph. “Lembro-me dela dizendo que ‘os homens são os agressores e as mulheres as vítimas’, e que precisava encerrar a ligação para que pudesse ajudar outras vítimas”.

Depois do abuso sofrido, em 2005, a vítima afirmou que sua vida começou a entrar em um ciclo de relacionamentos ruins. Ele lutou para obter ajudar até o segundo ano de faculdade, quando encontrou a ONG Stay Brave UK, uma instituição de caridade dedicada a ajudar as pessoas vítimas de violência sexual. Outra vítima, também não identificada, contou que tinha 18 anos quando foi drogada e estuprada por um estranho. Embora não se lembrasse de nada, constantemente sofria com pesadelos após passar pelo encontro traumático.

Meses mais tarde, ao entrar em um trem, inesperadamente avistou seu atacante. A vítima descobriu que seu agressor havia registrado pelo telefone tudo o que tinha feito com ela naquele dia. Então, porque relutou em pedir ajuda, continuou a sofrer os efeitos traumáticos da violência sexual.Quando finalmente conseguiu se abrir com um amigo, descobriu que este também tinha experimentado a agressão sexual um ano e meio depois que havia se mudado para Londres.

A violência masculina em números

De acordo com um estudo publicado em 2015, apenas 3,9% dos homens vítimas de estupro relatam a violência à polícia. Entre 2010 e 2014, apenas no Reino Unido, houve mais de 26 mil incidentes registrados com homens sendo vítimas de estupro. Contudo, estima-se que esse número possa ser ainda maior, próximo a 679 mil vítimas, uma vez que nem todos denunciam os casos.

Em 2014, o governo do Reino Unido lançou um fundo de 500 mil euros para ajudar os homens vítimas de violência sexual. Chamado de The Male Rape Support Fund, eles estão presentes por meio de 12 centros distribuídos na Inglaterra e no País de Gales. As autoridades desses países apontam que o estupro masculino pode representar até 12% de todos os casos de abuso sexual.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência