Afinal, os homens devem ou não depilar as axilas?

de Merelyn Cerqueira 0

Seja por uma questão de higiene, gosto ou até mesmo influência, a verdade é que hoje em dia muitos homens estão raspando os pelos das axilas. Tal hábito, anteriormente era visto na maioria das vezes em atletas, que o fazem para ajudar no desempenho do corpo durante a prática de determinados esportes.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Mas, a pergunta que fica é: É recomendável que os homens depilem as axilas? De acordo com informações do Diário de Biologia, uma função importante que os pelos da axila têm é a de diminuir o atrito do local, que ocorre entre o braço e o tórax.

Sendo assim, as mechas de pelos naturalmente agem para que a umidade seja mantida longe da pele, permitindo que ela fique seca o suficiente para evitar a colonização de bactérias produtoras de odor.

Há ainda outra questão relacionada à evolução e reprodução. Sugere-se que a relação entre os pelos das axilas e a sexualidade refere-se à liberação de um hormônio na região por meio de uma glândula apócrina, que começa a funcionar na fase da puberdade em acordo com a comunicação química dos feromônios.

Foto: Reprodução / Yandex

No entanto, e indo a contramão das primeiras afirmações, um estudo publicado no Journal Behavioral Ecology and Sociobiology, embora a biologia assuma que os pelos nas axilas masculinas sejam necessários, especialmente quando o assunto é reprodução, a questão cultural tem ganhando cada vez mais peso.

Para o estudo, os pesquisadores pediram a voluntários do sexo masculino que depilassem apenas uma das axilas e evitassem usar quaisquer inibidores de cheiros, como desodorantes. Em seguida, coletaram amostras de cada uma das axilas e entregaram-nas a um grupo de mulheres, que avaliariam quão atraentes eram os cheiros.

Embora não soubessem quais das amostras eram oriundas de axilas com pelos e depiladas, elas de fato identificaram como mais “agradável” o odor das raspadas. Tal conclusão criou um impasse sobre a premissa de que as axilas com pelos evoluíram para que os homens cheirassem de forma mais atraente.

Há de se considerar ainda que também já foi comprovado que a axila evoluiu para reter os químicos produzidos pelas glândulas locais, de modo a intensificar o cheiro natural das pessoas.

Portanto, é contraditório que as mulheres prefiram homens com as axilas sem pelos, uma vez que a evolução sugere que eles ajudaram os homens a cheirar melhor. 

Fonte: Diário de Biologia / Live Science Fotos: Reprodução / Bollywood Shaadis

Jornal Ciência