Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Chefe da máfia Yakuza foragido há 14 anos é preso após as fotos de suas tatuagens viralizarem na internet

de Merelyn Cerqueira 0

A polícia tailandesa prendeu o japonês Shigeharu Shirai, de 74 anos, acusado de ser um dos chefes da Yakuza e envolvimento em um homicídio.

Foragido há 14 anos, ele foi abordado na última quarta-feira (17) em Lopburi na Tailândia, a norte de Bangkok, enquanto fazia compras em um mercado no centro da cidade. Shirai foi preso após fotos de suas tatuagens começarem a circular na internet, segundo informações da Oddity Central.

Em 2003, as autoridades japonesas tentaram prender Shirai por seu suposto papel em um tiroteio envolvendo uma gangue rival Kamiya Gang, que resultou na morte de Kashihiko Otobe, vice-chefe do grupo.

No entanto, ele acabou fugindo para a Tailândia, onde ele se aposentou e casou com uma mulher local.

Investigações descobriram que, apesar de aposentado, Shirai regularmente era visitado por seus associados, que vinham de duas a três vezes por ano para lhe trazer dinheiro.

A prisão ocorreu no último dia 17, depois que uma foto de seu corpo tatuado começou a circular nas redes sociais, atingindo mais de 10.000 likes em pouco tempo de publicação.

A polícia reparou que, além das tatuagens, o homem parecia ter perdido parte do dedo mindinho, um traço que já era de conhecimento das autoridades.

A polícia tailandesa então foi alertada para que capturasse o criminoso foragido. Agora, Sharai enfrentará acusações da imigração ilegal para a Tailândia, por ter vivido no país sem visto, e depois será extraditado para o Japão, onde responderá pelos crimes aos quais foi acusado.

“O suspeito admitiu ter sido o líder da subgang Kodokai, da Yakuza”, disse um porta-voz da polícia tailandesa, Gen Wirachai Songmetta. Segundo ele, a Kodokai é uma das afiliada da Yamaguchi-Gumi, o maior grupo da máfia japonesa. “O suspeito não confessou o assassinato, mas admitiu que a vítima o intimidava”, acrescentou.

A Yakuza surgiu em meio ao pós-guerra do Japão, quando o país ainda vivia um caos. A organização criminosa rapidamente alcançou vários bilhões de dólares por meios de esquemas envolvendo jogos de azar, drogas, prostituição e crimes de colarinho branco.

À época em que surgiu, a Yakuza era considerada um mal necessário, uma vez que era capaz de manter a ordem nas ruas. Curiosamente, ao contrário da máfia italiana ou as tríades chinesas, a Yakuza não é exatamente ilegal. Cada grupo tem sua sede, que às vezes estão localizados bem embaixo do nariz da polícia local.

De acordo com a National Police Agency, em 2017, 22 gangues foram designadas pelas autoridades como grupos de crime organizado, totalizando mais de 20 mil associados.

A maioria deles pertencem às gangues Yamaguchi-Gumi, Sumiyoshi-Kai e Inagawa-kai, que fazem dinheiro por meio do tráfico de drogas, jogos de azar, negócios no meio imobiliário, finanças e segurança privada.

Fonte: Oddity Central Fotos: Reprodução / Oddity Central

Jornal Ciência