Astrônomos descobrem estruturas semelhantes a “cascas de amendoim” em galáxias próximas da Terra

de Merelyn Cerqueira 0

Astrônomos da Universidade de Tecnologia de Swinburne, na Austrália, disseram ter detectado algo estranho entre duas galáxias localizadas próximas à Via Láctea.

 

De acordo com eles, tratam-se de enormes estruturas com formas semelhantes a uma casca de amendoim, e com superfícies convexas que ficam bastante visíveis a partir de seus centros. Elas foram localizadas entre as galáxias NGC 128 e NGC 2549, que estão a cerca de 200 e 60 milhões de anos-luz de distância da Terra, respectivamente. Ambas parecem abrigar essa estrutura tridimensional rara dentro de suas estrelas – algo nunca antes visto em mais de uma camada.

 

Ironicamente, apesar de sua forma, essas estruturas estão longe de serem do tamanho de um amendoim“, disse um dos pesquisadores, Alister Graham. “Elas consistem de bilhões de estrelas, abrangendo até um quarto do comprimento das galáxias”.

 

As estruturas foram visualizadas graças a um software recém-projetado pela equipe, que pode interpretar dados coletados a partir do telescópio Hubble, da NASA e do Sloan Digital Sky Survey (SDSS), maior levantamento astronômico, ainda em andamento, da atualidade.

Embora os astrônomos já tenham conhecimento sobre galáxias com estruturas semelhantes – até mesmo a Via Láctea tem uma – eles só foram capazes de visualizá-las agora. Os especialistas planejam usar essa descoberta para extrair pistas sobre o histórico de uma galáxia, e até mesmo encontrar dicas sobre o futuro.

 

Esta é a primeira vez que tal fenômeno foi observado”, disse um membro da equipe, Bogdan Ciambur. “Esperamos que a anatomia surpreendente das galáxias nos dê uma visão única sobre seu passado. Decifrar essa história pode nos dizer mais sobre a transformações que galáxias, como a nossa Via Láctea, podem enfrentar”.

 

Há, obviamente, muito mais trabalho a ser feito para descobrir exatamente como e por que essas estruturas são formadas. Contudo, a equipe de Swinburne está confiante de que, através de testes, poderão descobrir mais sobre a formação e crescimento de barras em discos estelares – que podem ser a causa da origem das estruturas – incluindo seus comprimentos, velocidades de rotação, e períodos de instabilidade.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / B Ciambur ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!