Mamãe gorila exibe orgulhosa seu filhote recém-nascido aos visitantes do zoológico

A cena inusitada surpreendeu os visitantes do zoológico pelo amor e carinho demonstrados por ela

de Redação Jornal Ciência 0

O momento de ternura foi registrado no Zoológico de Calgary, no Canadá, e deixou os visitantes emocionados com o comportamento amoroso da mamãe gorila.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Orgulhosamente, ela fez questão de mostrar seu recém-nascido para os visitantes. Alguns ficaram chocados com a cena, por lembrar um comportamento humano, e começaram a filmar, tornando-se viral nas redes sociais.

No vídeo, ela agarra o filhote pelos braços para levantá-lo, como se dissesse: “Olhem, este é meu bebê!”. Em seguida, coloca-o entre os braços e o aconchega, embalando-o para dar um beijo.

Alguns visitantes ficaram emocionados e agradeceram a gorila por ter apresentado seu bem mais precioso. Infelizmente, toda esta emoção aconteceu atrás de um vidro reforçado, do viveiro de primatas onde vive.

O nascimento de um gorila em zoológicos é considerado um acontecimento, porque a espécie está ameaçada de extinção, vivendo atualmente um momento crítico, sendo vítima de caçadores em seus habitats naturais.

Apenas nos últimos 30 anos, observa o Zoológico de Calgary, a população de gorilas selvagens diminui 80%. Isso é algo tão alarmante que nas próximas décadas eles podem não existir mais em ambiente natural.

A razão por trás desse declínio drástico tem a ver com a caça em massa por parte de traficantes de animais silvestres que costumam roubar filhotes e matar o resto da família.

Além disso, o desmatamento ilegal e descontrolado diminui a cada ano a área de convívio da espécie, que fica encurralada com menos florestas para viver e procurar alimentos, o que aumenta o número de doenças.

Os gorilas são primatas considerados extremamente inteligentes. Alguns espécimes em cativeiro já conseguiram aprender linguagem simplificada de sinais, permitindo comunicação precisa com seres humanos.

Fonte(s): Upsocl Imagens: Reprodução / Upsocl

Jornal Ciência