Um rinoceronte-branco de quatro anos de idade, chamado Vince, foi encontrado morto no zoológico de Thoiry, oeste de Paris. O animal foi baleado e morto na noite de segunda-feira (6) e o corpo, mutilado por uma motosserra, encontrado pelos funcionários do local na manhã seguinte. Acredita-se que caçadores furtivos tenham entrado no zoológico para roubar o valioso chifre do rinoceronte, caracterizando o primeiro caso do tipo já registrado na Europa.

zoo-rinoceronte_01

Em entrevista ao jornal Le Parisien, uma fonte que não quis ser identificada afirmou que “o animal havia sido baleado três vezes na cabeça”. Em um comunicado, o zoológico informou que apenas um chifre foi levado por completo, enquanto que o outro havia sido apenas parcialmente cortado. Eles acreditam que os criminosos tenham sido perturbados na hora ou o equipamento tenha apresentado defeito.

 

A jaula do animal estava localizada na parte de trás da Reserva de Animais Africanos do parque e era bem popular entre os visitantes. A polícia acredita que um ou mais assassinos tenham agido para abrir a parte de trás do zoológico antes de invadir o local onde viviam três rinocerontes – dois dos quais, Gracie, de 37 anos e Bruno, de 5, conseguiram escapar ilesos do ataque. É possível que os ladrões não tiveram tempo de atacar os outros animais”, disse a fonte.

zoo-rinoceronte_02

O diretor do zoológico, Thierry Duguet, disse que todo o evento é inacreditável, uma vez que o local possui câmeras de vigilância e seguranças. “Nossos colegas gerentes de parques estão surpresos”, disse ele, acrescentando que os visitantes ficaram profundamente comovidos e zangados com a situação.

 zoo-rinoceronte_03

Na África, os rinocerontes são regularmente vítimas de caçadores furtivos, que arrancam seus chifres para venda. No entanto, na Grã-Bretanha a prática não é comum, de acordo com a Associação Britânica e Irlandesa dos Zoológicos e Aquários. Estima-se que atualmente existam apenas 21 mil rinocerontes-brancos no mundo, muitos vivendo na natureza, especialmente nas regiões da África do Sul e Uganda. Mas, a espécie está em extrema ameaça de extinção devido à caça ilegal.

 

Os chifres do animal, que podem custar até 180 mil euros (cerca de 680 mil reais), são muito apreciados pela medicina tradicional asiática, uma vez que são transformados em um pó fino para serem usados como tratamento de uma série de condições, incluindo perda de libido. Eles são compostos de queratina e pequenos depósitos de minerais, descritos como “marfim” no comércio ilegal.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência