Israel alerta que 2.000 garças morreram de gripe aviária e 10.000 estão infectadas

de Redação Jornal Ciência 0

Autoridades de Parques e Natureza de Israel emitiram alerta no último domingo (26/12) sobre o grande número de mortes de garças pela gripe aviária: 2.000. Ao total, 10.000 estão contaminadas.

“Até agora, 2.000 garças selvagens morreram e cerca de 10.000 estão infectadas”, disse Ohad Hatsofe, ecologista aviário de Israel em entrevista à AFP.

“Estima-se agora que um quinto da população de garças em Israel foi infectada pela gripe aviária”, disse Uri Naveh, vice-diretor do departamento científico do país, de acordo com o canal de notícias EuroNews.

Mortes de aves por gripe aviária ocorrem em Israel, todos os anos, em pequena escala. Mas, esta é a primeira vez que o país emite alerta sobre a enorme quantidade de animais mortos e classifica o número de óbitos como “excepcional”.

Entre outubro e dezembro de cada ano, cerca de 100.000 garças costumam migrar para a África e, no meio do caminho, param no Vale Hulla, situado ao norte de Israel. O local é considerado “o meio da viagem”, um local estratégico para elas.

Mas, especialistas estão preocupados com o fato de que mais de 40.000 garças não continuaram sua migração e estão no Vale Hulla.

Israel já confirmou que está enfrentando surto de gripe aviária (vírus H5N1) nesta região, tornando-se um ponto fértil de contaminação de aves saudáveis que pousarem ali. Além disso, o local pode favorecer o surgimento de cepas virais mais poderosas, com maior poder de propagação.

Segundo o Centro de Controle de Doenças dos EUA (CDC), desde novembro de 2003, cerca de 700 pessoas foram infectadas com gripe aviária, exatamente em regiões onde as aves costumam passar durante o processo migratório: Ásia, África e Oriente Médio.

Mas, apesar da contaminação parecer rara até o momento, é extremamente preocupante para humanos, pois até 60% dos infectados morrem.

O vírus H5N1 ataca de forma agressiva o sistema respiratório gerando pneumonia grave e falência respiratória.

O Ministério da Agricultura de Israel também relatou que a gripe aviária, possivelmente, surgiu de granjas e criadores de galinha que vivem na região norte. Isso teria facilitado o contato do vírus com as garças que estavam migrando, além de outros pássaros.

Israel lançou medidas de contenção contra a gripe aviária proibindo o fornecimento e venda de ovos de galinha no país de comunidades agrícolas dessa região. O país irá importar ovos para lidar com uma possível escassez do produto.

Até o momento, Israel não comunicou sobre um plano de ação em relação às garças contaminadas e a propagação do vírus.

Fonte(s): EuroNews / Phys Imagens: Reprodução / Olhar Digital

 

Notícias diretamente no seu WhatsApp

Salve (61) 983026534, mande "oi" pelo WhatsApp e receba notícias, curiosidades e conteúdos incríveis do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar o número e enviar “oi” no WhatsApp para validar o cadastro. Em nenhuma hipótese enviaremos spam ou publicidade. Já são 25.550 leitores cadastrados. É gratuito!

Jornal Ciência