A sociedade dos chimpanzés é muito diferente da dos bonobos. Enquanto os machos dominam entre os chimpanzés, as fêmeas estão no topo da hierarquia para os bonobos.

Uma nova pesquisa publicada na Royal Society Open Science sugere que isso pode caracterizar uma guerra selvagem. Apesar das duas espécies serem semelhantes, o bonobo não foi descrito como uma espécie separada até 1928.

Desde então, tornou-se evidente que, apesar de viverem no mesmo ambiente e serem morfologicamente iguais, os dois animais são surpreendentemente diferentes.

“Enquanto os chimpanzés são altamente territoriais, com encontros intergrupais hostis e às vezes letais, os bonobos têm relações bastante pacíficas entre os grupos e carecem de violência letal durante os encontros”, explicou Martin Surbeck, que liderou este último estudo.

Chimpanzés tendem a resolver disputas através da agressão, bonobos parecem fazê-lo através do sexo.

E foi essa grande diferença nos comportamentos que estimularam Surbeck e sua equipe a descobrir o impacto que ela tem em suas sociedades.

A razão pela qual as estruturas sociais dos dois macacos podem ser tão diferentes é pelo fato de que os chimpanzés fazem o que conhecemos como “guerra”. 

Depois de estudar cinco grupos separados de chimpanzés e dois grupos individuais de bonobos, a equipe descobriu que essa guerra pode ser a razão pela qual as sociedades de bonobos são dominadas por fêmeas e as comunidades de chimpanzés são dominadas por machos.

Os pesquisadores argumentam que a guerra observada em uma espécie e não na outra pode ajudar a explicar algumas diferenças sociais.

Os chimpanzés precisam cooperar com outros machos, enquanto eles realizam patrulhas de fronteira, caçam e lutam, e assim podem preferir passar tempo socializando uns com os outros para fortalecer esses laços.

Por outro lado, entre os bonobos os animais preferem socializar com as fêmeas, e os machos respondem hierarquicamente às suas mães.

Uma das descobertas mais impressionantes feitas sobre os chimpanzés é a sua tendência à violência. Os macacos atacam brutalmente chimpanzés de comunidades vizinhas, mas em alguns casos, isso é levado muito mais longe.

Um dos exemplos mais conhecidos é a guerra Gombe Chimpanzee, que ocorreu durante um período de quatro anos na década de 1970. Quando um grupo de chimpanzés se separou, o conflito irrompeu, com um lado eliminando sistematicamente cada macho do outro, e depois se apropriando de seu território.

Fonte: IFL Science Fotos: Reprodução / IFL Science

Jornal Ciência