O diamante é, devido à sua grande resistência, um dos materiais mais valiosos no mundo. O que faz com que seja uma das pedras preciosas mais respeitadas é sua garantia de alta qualidade.

Sendo um clássico presente em anéis de noivado, é constantemente associado à elegância e ao amor. Mesmo sendo um dos materiais mais resistentes do mundo, muitos cientistas tentaram derretê-lo com a ajuda de uma “Máquina Z”, localizada no México – a maior geradora de raio X do mundo.

Os cientistas queriam derreter o diamante usando a pressão exercida pela máquina, que chega a ser até 10 mil vezes maior do que a pressão existente no nível do mar. Marcus Knudson, um dos responsáveis por operar a máquina, disse ao site Live Science que é muito difícil de atingir esse nível de pressão.

Ela produz um campo eletromagnético que emite ondas que viajam a 34 quilômetros por segundo, causando o que os cientistas chamam de fusão nuclear, que é o aumento de peso de alguns elementos, com a produção de grandes quantidades de energia. Mas, os cientistas ainda não sabem tanto sobre controlar a fusão nuclear, que, ao contrário da fissão, divide o núcleo atômico.

Essa técnica é potente, mas ao mesmo tempo perigosa, pois gera uma quantidade tão grande de energia que torna possível derreter diamantes, algo que até pouco tempo era totalmente inconcebível.

[ Live Science / How it Works ] [ Foto: Reprodução / Flickr ]

Jornal Ciência