Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

As pessoas deveriam fazer raspagem da língua todas as manhãs, mas a maioria não faz isso. Descubra porque você deve começar HOJE!

de Gustavo Teixera 0

Várias culturas ao redor do mundo possuem hábitos matinais que são considerados indispensáveis para a higiene e saúde.

Escovar os dentes, por exemplo, é considerado primordial no Ocidente, já no Oriente, além da prática da escovação, raspar a língua pela manhã também é considerado indispensável.

A raspagem da língua é muito importante, pois em uma noite de sono, a salivação cai 90% e toxinas passam a revestir a língua. Aquela película branca na língua sinaliza o acúmulo de toxinas do intestino e estômago.

raspar-a-lingua_1
Veja o antes e depois de uma língua bem higienizada após a raspagem matutina.

A melhor forma de se livrar dessas toxinas é limpando a língua antes da escovação com um raspador comum que pode ser comprado em farmácias – existem vários tipos e formatos, algum com cerdas especiais e outros apenas com a estrutura em forma de arco plástico. Todos eles, se bem usadas, conseguem proporcionar uma boa higiene. 

A remoção dessa película que contém bactérias, fungos, células mortas e restos de comida, reduz o mau hálito e melhora a capacidade de sentir o sabor dos alimentos, pois expõe melhor as papilas gustativas da língua, além disso, melhora a saúde dos dentes. Portanto, ao acordar lembre-se de raspar a língua para melhorar sua saúde.

O que é saburra lingual?

É justamente essa “massa branca” que você vê em cima de sua língua. É uma das principais causas do mau hálito; um ambiente perfeito para proliferação de bactérias que liberam compostos de enxofre, com cheiro de ovo podre.

Por isso, muitos que se preocupam apenas com os dentes e se esquecem da língua, podem pensar estar exalando um bom odor, mas na verdade estão emitindo mau hálito sem ao menos perceber, incomodando as pessoas ao redor e criando um clima ruim, socialmente falando.

Fonte: Diário de Biologia Fotos: Reprodução / Diário de Biologia

Jornal Ciência