Mais de 300 renas foram mortas por um único raio na Noruega

de Merelyn Cerqueira 0

Um total de 323 renas selvagens foram mortas por um raio que atingiu um parque nacional, localizado no planalto montanhoso de Hardangervidda, na Noruega.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Entre os mortos foram contabilizados cerca de 70 filhotes, conforme informações do jornal inglês Daily Mail. É um comportamento comum entre a espécie, permanecer junta ao notar mau tempo, o que provavelmente causou o número massivo de vítimas.

Em uma série de imagens divulgada pela Agência Ambiental Norueguesa, as carcaças dos animais são vistas espalhadas por uma pequena região do planalto. Acredita-se que a tragédia tenha acontecido durante uma tempestade de raios registrada ali no dia 26 de agosto. Apenas cinco renas sobreviveram, mas estão sendo tratadas em razão de algumas lesões sofridas, de acordo com informações da BNO News.

300-renas-mortas-na-noruega-por-raio_01

O porta-voz da Agência, Kjartan Knutsen, em entrevista à Associated Press, disse que não é incomum que renas ou outros animais selvagens sejam mortos por raios. No entanto, ele assume que ninguém ali teria ouvido falar sobre um número tão grande de mortes.

Knutsen acrescentou que as renas tendem a ficar unidas e próximas umas às outras em iminência de mau tempo e isso poderia explicar as 323 carcaças encontradas.

Anualmente, milhares de renas costumam migrar para as montanhas de Hardangervidda durante a mudança de estações. Segundo a BNO, acredita-se que este seja o maior número de animais mortos por um único raio já registrado. Em 2005, cerca de 68 vacas foram mortas em um evento semelhante que ocorreu em uma fazenda na Austrália, de acordo com informações do Guinness World Records.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Håvard Kjøntvedt, Environment Directorate / SNO ]

Jornal Ciência